Mini-Reviews: Prince of Persia 2008 (PC)

Análises com um máximo de 1.000 caracteres para você ler enquanto toma um café

Depois da bem-sucedida e desafiadora trilogia Sands of Time, a franquia Prince of Persia estava começando a se repetir. Para sair da mesmice, a Ubisoft resolveu sonhar tudo de novo em 2008 com esta abordagem… inusitada.

Que o jogo é belíssimo, ninguém discute. A polêmica é que o príncipe não morre: sempre que erra um salto, é salvo por sua parceira de aventura e pode tentar de novo. Sim, heresia instantânea para os velhos fãs, mas as aparências enganam!

O que a Ubisoft fez foi multiplicar por mil as peripécias acrobáticas do príncipe. Há sequências alucinantes de saltos ousados misturados a descidas em alta velocidade por rampas e escaladas em paredes; momentos que seriam frustrantes e inviáveis em jogos implacáveis como seus antecessores, que puniam o jogador a cada erro. Prince 2008 dá sim uma canja ao jogador, mas essa canja é um preço a pagar por uma experiência deliciosa e inesquecível. A trama empolga, o clima envolve e o final é extraordinário. Recomendadíssimo.


TheBoss 010 – Tomb Raider

A volta da renovada Lara Croft em mais uma franquia que pressionou o botão do reset.

E não é que a Crystal Dynamics produziu um título à altura da fama da moça? Aliás, depois de jogar o novo Tomb Raider, está muito difícil outra personagem de videogame chegar perto da beleza, digo, do carisma da charmosíssima inglesa Lara Croft.

Bônus: uma versão para PC de um jogo tipicamente “consolista” como há muito não se via. Mas, voltando à Lara: que cabelos…

TheBoss 010

Tomb Raider