Anúncios

Sorteio Do Livro “1984: A Febre Dos Videogames Continua”

ATUALIZAÇÃO 1 [PRIMEIRO VENCEDOR]

Pessoal, o primeiro sorteado foi o leitor Daniel Márcio de Araújo Mesquita,
de Divilópolis (MG). O Marcus Garret já enviou o
“1984: A Febre dos Videogames Continua” para ele.

Como somente um número saiu, estamos aguardando o
próximo sorteio da Loteria Federal para termos o outro felizardo!

ATUALIZAÇÃO 2 [SEGUNDO VENCEDOR]

E o segundo sorteado foi o leitor César do Canto Machado Filho,
de Florianópolis (SC). O Marcus Garret já enviou um exemplar do
“1984: A Febre dos Videogames Continua” para a residência dele.

Agradecemos a todos que participaram e,
caso deseje adquirir seu exemplar
diretamente com o Marcus Garret,
autor dos livros, basta enviar email para:

euquero1983@gmail.com 

Amigos do Cosmic Effect: como prometido, estaremos sorteando 2 exemplares do segundo livro do Marcus Garret, a continuação da saga dos videogames em nosso país. Claro que estamos falando do 1984: A Febre dos Videogames Continua!

COMO PARTICIPAR

Envie uma mensagem para:
CosmicEffectGaming @ Gmail.com

Coloque no título:
Sorteio 1984 CFX

No corpo da mensagem, coloque seu nome e endereço
completos e responda a seguinte pergunta:

Qual o nome do console brasileiro que era
“a mais alta patente em videogame”?

Cada pessoa terá um número (001, 002, etc) que será associado aleatoriamente, utilizando um aplicativo de randomização qualquer.

Através da extração da Loteria Federal de número 04655, que deverá ser aproximadamente em 15 dias, definiremos os vencedores desta forma: pegaremos os 3 últimos números do primeiro prêmio, exemplo: 01783; o vencedor seria a pessoa de número 783. Caso não exista ninguém com este número, sigo para os prêmios restantes (são 5). Se nenhum bater, volto para o prêmio inicial (01783) e retorno uma casa, portanto seria o 01783. E assim sucessivamente, até o primeiro número bater. Continuo fazendo a mesma coisa até bater um segundo número e temos os dois vencedores escolhidos aleatoriamente. Se não aparecerem números vencedores, aguardamos o sorteio seguinte (a cada 3-4 dias há um sorteio, pelo que percebi). Portanto… boa sorte!

Os livros serão enviados diretamente e gratuitamente pelo Marcus Garret para o endereço dos dois vencedores.

No Gagá Games*, mais dois exemplares serão sorteados logo após o final do sorteio do Cosmic Effect, portanto fiquem ligados.

Protip: caso não saiba a resposta, não use o Google, muito menos o Bing; use o principal serviço que os sites citados oferecem, só que no Cosmic Effect…

*Padrão Orakio Rob Para Sorteios de Livros Retrô © Gagá Games.
Todos os continues reservados.

* * *

Anúncios

Lançamento Oficial Do Livro “1984: A Febre Dos Videogames Continua”

Amigos, esta é somente para os privilegiados residentes da cidade de São Paulo: o Marcus Garret estará lançando o 1984: A Febre dos Videogames Continua na Game World 2012, que acontece neste final de semana.

O Marcus estará presente no estande da ACIGAMES, do Moacyr Alves Jr., batendo papo com os visitantes e autografando exemplares nos dias 31 e 1º. Ele fez um preço especial para o evento, para quem adquirir os dois livros.

Para os retrogamers que não poderão pintar no evento, como vocês já sabem, os livros podem ser adquiridos diretamente com o autor no já tradicional euquero1983@gmail.com.

Como prometido, estaremos sorteando em breve exemplares do 1984 aqui no Cosmic Effect e no Gagá Games.

Segue o press release do lançamento que vai fazer a Game World 2012 virar Game World 1984! ^_^

Press Release

Lançamento do livro “1984: A Febre dos Videogames Continua”

O autor independente Marcus Vinicius Garrett Chiado, conhecido no meio do colecionismo de games clássicos como Garrett / Garrettimus, está lançando seu novo livro dedicado ao retrogaming: “1984: A Febre dos Videogames Continua”.

“1984” é a continuação da primeira obra do autor dedicada a historiar os acontecimentos que conduziram ao surgimento do videogame no país, “1983: O Ano dos Videogames no Brasil”, lançada em 2011 e sucesso de vendas. Ela é a sequência do processo de pesquisa e de investigação de nosso passado gamístico. Ao invés de publicar uma segunda edição, Marcus preferiu escrever outro livro, adicionando-lhe fatos extras descobertos posteriormente e complementando-o com histórias ocorridas, de fato, em 1984. Histórias, curiosidades, “causos”, números, valores, entrevistas e fotos, muitas fotos.

O período analisado perfez um ano muito interessante apesar da situação difícil do Brasil – por causa da persistente inflação, da recessão. Várias manchetes de destaque aconteceram por aqui, em especial o movimento pelas votações diretas, o “Diretas Já”. O povo viu a Emenda Dante de Oliveira, a favor das eleições diretas para a presidência da república, ser rejeitada pela Câmara dos Deputados. Por outro lado, coisas felizes também aconteceram, tais como a inauguração do Sambódromo, no Rio de Janeiro, e a vitória do atleta Joaquim Cruz nas Olimpíadas de Los Angeles. Na música, as rádios tocavam os sucessos “Como eu Quero”, do conjunto Kid Abelha e os Abóboras Selvagens, “Bete Balanço”, do Barão Vermelho, e “Me Chama” de Lobão e os Ronaldos.

Após a chegada oficial do videogame ao país, em 1983, tivemos lançamentos bem interessantes no ano seguinte, alguns até inusitados, que são assunto do novo livro.  Novos similares do Atari, como o Dactar, o Onyx Jr. e o Supergame, o novo Intellivision II, cartuchos inéditos para todos os consoles, sistemas de carga de jogos em cassete, como o Supercharger e o Comp-K7, teclados que “transformavam” os videogames em microcomputadores, como o Basic Keyboard da Dynacom, e o “quase” lançamento de um jogo da Turma da Mônica no fim daquele ano.

O autor procurou não repetir passagens destacadas previamente em “1983” nem utilizar imagens e fotos iguais às do primeiro livro. Tencionou trazer à luz fatos redescobertos, melhor explorados – ou, ainda, discutidos pela primeira vez na forma de apanhado histórico. “1984: A Febre dos Videogames Continua” funciona como um misto de segunda edição e de novidade, sendo um balanço ideal entre o material analisado.

O lançamento de “1984” acontecerá nos dias 31/03 e 01/04, no evento Game World 2012, no estande da ACIGAMES (www.acigames.com.br) do empresário Moacyr Alves Jr.

O local do evento: Centro de Convenções do Shopping Frei Caneca, situado à R. Frei Caneca, 569, Consolação, São Paulo. O autor estará no estande para comercializar ambos os livros autografados e bater papo com os visitantes.

Valor dos livros no local:

1983: O Ano dos Videogames no Brasil = R$ 40,00

1984: A Febre dos Videogames Continua = R$ 50,00

Ambos os livros em uma promoção para o evento = R$ 80,00

Mais informações sobre o evento: http://tambordigital.com.br/gameworld_expo_2012

Mais informações sobre o autor e os livros:

Website (em construção): http://www.memoriadovideogame.com.br/

Contato: euquero1983@gmail.com

* * *

1984 Está Chegando…

Pessoal, uma mensagem do amigo Marcus Garret,
autor dos livros retrô mais legais do Brasil :)

Olá amigos,

Está começando hoje a pré-venda de meu novo livro “1984: A Febre dos Videogames Continua”. Devido a algumas mudanças que julgo positivas, infelizmente, não consegui segurar o preço. O valor ficou em R$ 55,00 com envio incluso para qualquer parte do país – contra os R$ 45,00 originais do primeiro. No caso de retirada pessoalmente, o valor fica em R$ 50,00 redondos.

Porém, “1984” tem praticamente 50 páginas a mais (tem 156 páginas) e virá em papel couché com maior gramatura, isto é, as páginas serão “brilhantes” e mais encorpadas, o que dará mais destaque para as fotos. Aliás, o livro está RECHEADO de fotos muito bacanas. Estou certo de que vocês vão adorar. Além disso, como exemplo do primeiro, todos os livros seguem assinados.

Faço uma promoção de lançamento em que venderei ambos os livros por R$ 80,00 já com envio, sendo que o valor normal seria de R$ 90,00 mais o correio; promoção está que vale até que acabem os estoques, he he he. O preço normal do primeiro livro continua sendo R$ 45,00 com envio.

Caso queiram encomendar os de vocês, agradeço. Só enviar e-mail para o mesmo endereço do primeiro: euquero1983@gmail.com. Peço, por favor, que coloquem a palavra 1984 no título.

Repetindo:

– 1983: O Ano dos Videogames no Brasil (108 páginas) = R$ 45,00 (envio incluso).
– 1984: A Febre dos Videogames Continua (156 páginas) = R$ 55,00 (envio incluso).
– Ambos os livros na promoção de lançamento = R$ 80,00 (envio incluso).

O novo livro deve ficar pronto na segunda quinzena de março e será despachado para os compradores da pré-venda imediatamente.

Obrigado por prestigiarem!

Abraços,

Marcus

* * *

1984: A Febre Dos Videogames Continua

Pessoal, há algum tempo entrevistamos o Marcus Garret, autor do excelente 1983: O Ano Dos Videogames No Brasil. O livro, lançado em agosto de 2011 é, sem exageros, leitura obrigatória para todos os retrogamers brazucas. Comprei minha cópia pelo email do Marcus e posso assegurar: cada página é uma viagem no tempo, principalmente aos olhos de quem por acaso viveu aquela época: propagandas animadas com os preços em cruzeiros, os clones de cartuchos/consoles cheios de criatividade e, até mesmo, jogos que só foram lançados aqui no Brasil, em cartucho. Tudo isso e muito mais foi abordado no 1983.

Agora… chegou “a mais alta patente em videogame” ;-)

Marcus Garret nos levará ao ano seguinte da nossa particular história gamística, em um novo livro intitulado 1984: A Febre Dos Videogames Continua. E como continua! Como dá pra ver no pequeno teasing acima da capa do livro (poderá sofrer alterações até o lançamento), há um Onyx Jr adornando o fundo. Para quem não conhece, o Onyx Jr foi um amado clone brasileiro do Atari 2600, de design mais compacto e muito charmoso, com linhas e cores inspiradas na estética do exército.

Lembro de um amiguinho que o possuía e, apesar de acompanhar um joystick meio desajeitado, ele realmente era mais poderoso — sabe por que? Porque só o Onyx Jr tinha um botão de… pausa! Imagina só, o poder de pausar em Megamania durante o ataque daqueles sanduíches amarelos, traçar a melhor “estratégia” com calma e seguir em frente… Certamente, muitas curiosidades e fatos da época serão parte do novo livro do Marcus, que, nas próprias palavras do autor, é uma continuação direta do 1983:

Saiu bastante coisa em 1984, principalmente acessórios e “periféricos” (se é que podemos chamar assim). A guerra dos preços e a competição entre os consoles só aumentou também. Há muitas curiosidades bacanas que, creio, serão de interesse do pessoal que adora a Era Atari.

Este livro será bem mais visual que o primeiro, terá bem mais fotos e detalhes. Pretendo fazê-lo em papel brilhante também, dar um outro acabamento, mas tentar preservar – ao máximo – o preço do primeiro.

A “Era Atari”. Como não adorá-la? :)

Na época da entrevista que fizemos aqui no CFX sobre o 1983, o Marcus estava montando uma lista de interessados através de email. O mesmo acontece agora, com o novo livro: aproveitando o mesmo endereço, o euquero1983@gmail.com, os interessados já podem enviar mensagem informando seu desejo de adquirir um exemplar e incluindo seu endereço para envio (é uma pré-venda). Marcus acredita que o livro estará 100% pronto por volta de 20 de março, seu preço deverá girar em torno de R$ 50,00 (incluindo frete) e ele pretende fazer um descontão para eventuais interessados em adquirir os dois livros de uma vez.

Para os residentes de São Paulo, o Marcus pretende realizar (ainda não confirmado) um lançamento oficial no Game World 2012 que acontecerá entre os dias 30 de março e 1º de abril, no stand da ACI Games (do Moacyr Alves, do Jogo Justo). Neste dia, ele estará autografando exemplares.

Mas não feche esta aba agora!

O Cosmic Effect estará sorteando dois exemplares autografados cedidos gentilmente pelo Marcus para o nosso blog! Assim que o livro sair, teremos um novo post abordando o sorteio, aguardem.

* * *

Lançamento Oficial Do Livro “1983: O Ano Dos Videogames No Brasil”

Amigos do Cosmic Effect: o Marcus Garret estará lançando o seu ótimo livro sobre os acontecimentos que envolvem o ano de 1983 do ponto de vista da nossa indústria, do nosso mercado brazuca de videogames. O livro é fabuloso, eu comprei minha cópia pelo email do Marcus e posso assegurar: é uma viagem no tempo, cada página. Preços dos videogames em cruzeiros nas propagandas da época, os clones brasileiros dos cartuchos/videogames cheios de criatividade e até mesmo jogos que só foram lançados aqui no Brasil, em cartucho. Ah, e muito mais :) Para os felizardos que moram na capital de São Paulo, ele estará lançando oficialmente no dia 5 de agosto de 2011, na UZ Games do Shopping Ibirapuera.

O release completo com o anúncio do lançamento:

A ACIGAMES em conjunto com a rede de lojas UZ Games irá realizar na unidade UZ Games Ibirapuera, no dia 05 de Agosto (sexta-feira) a partir das 19:00h o lançamento do livro 1983 – O ano dos videogames no Brasil, de autoria do especialista Marcus Vinicius Garrett Chiado, que estará pessoalmente presente no dia distribuindo autógrafos.


O livro, que é fruto de anos de pesquisa do autor, conta a história da entrada dos videojogos em nosso país (com ênfase no console Atari 2600), e é leitura obrigatória para todos que quiserem entender nosso fascinante mercado.

Serviço

O que:

Lançamento livro 1983: O Ano dos Videogames no Brasil

Quando:

sexta, 5 de agosto · 19:00 – 22:00

Onde:

Loja UZ Games – Shopping Ibirapuera

Av. Ibirapuera, 3.103, Loja 64, Piso Moema

São Paulo – SP

* * *

1983: O Ano Dos Videogames No Brasil

***ATUALIZAÇÃO (28/jun/2011)***

Um recado do Marcus Garrett, para os interessados em adquirir o livro:

Já estou de posse do valor final do livro “1983: O Ano dos Videogames no Brasil”: R$ 45,00 com o envio incluso para qualquer parte do país. Porém, ele está em promoção de lançamento: quem efetuar o depósito até sexta-feira, dia 01 de julho, pagará R$ 39,99 e ganhará ainda o FRETE GRÁTIS para qualquer lugar do Brasil.

O email para aquisição do livro diretamente com o Marcus é o euquero1983@gmail.com.

Amigos do Cosmic Effect, tive um breve bate-papo com o paulistano Marcus Vinicius Garrett Chiado, autor do livro “1983: O Ano Dos Videogames No Brasil”. O Marcos é um colecionador de videogames antigos (e também de Transformers,  He-Man, Thundercats…) e faz parte de uma das maiores comunidades de colecionadores de videogames/computadores do Brasil, a Canal 3. Através do mailing list, soube que o Marcus está prestes a lançar um livro que retrata um ano muito especial para os videogames no nosso país – o ano de 1983, período que simbolizaria a “chegada dos videogames ao Brasil”. Através de extensa pesquisa em fontes saudosas como a revista SomTrês, Vídeo News, Micro & Vídeo e também publicações maiores como Veja e Exame, ele deseja mostrar como as empresas nacionais desenvolveram suas idéias, como foi a aceitação por parte dos consumidores daquela época e diversos outros detalhes. Puxa, prato cheio pra qualquer trintão brasileiro que começou no Telejogo, Odyssey ou Atari. A idéia do cara foi super-original, fiquei imediatamente curioso em saber o que há de tão especial no ano de 1983. Eu tinha 5 anos de idade e o Marcus 10 anos – ele certamente lembra de muito mais coisa do que eu :)

Sempre buscando embasar-se nas publicações citadas e também através de informações de amigos que também vivenciaram o período, o livro tem aproximadamente 120 páginas que exploram com profundidade os sistemas Atari, Odyssey, Intellivision, Colecovision e outros – tudo no contexto brasileiro. Possui muitas ilustrações e fotos que adornam o conteúdo, e até inclui algumas entrevistas inéditas. A diagramação ficou pronta exatamente hoje (na data deste post) e algumas páginas estarão aqui no bate-papo para nos deixarem com (mais) água na boca. Vamos conhecer um pouco mais do Marcus e do seu livro tão esperado pelos retrogamers brazucas.

Eric: Com a imensa popularidade que os videogames alcançaram nos últimos anos, parece ter surgido com ela um crescente interesse em retratar a história dos jogos eletrônicos. Em 2008, saiu a primeira publicação oficial do Guinness, que tem se mantido anual desde então – um exemplo de canais reconhecidos da mídia agora também passearem pelos videogames, tratando-os com seriedade. Como começou seu interesse pela história dos videogames?

Marcus: Apesar de não colecionar mais, fui colecionador de games por uns 15 anos. O interesse surgiu ao constatar quão rico é o cultivo da história dos aparelhos no exterior e quão pobre é isso no Brasil. À exceção da revista de banca OLD!Gamer e de algumas publicações hobbysticas, o interesse do brasileiro parece estar mais no ato de colecionar, não tanto em documentar. Nossa história gamística é tão rica por causa de particularidades que aconteceram no Brasil, tais como a política de Reserva de Mercado. É muito triste ver isso se perder.

E: Você era editor da Jogos 80, revista online publicada exatamente no mesmo período em que passei a colecionar videogames e jogos antigos, por volta de 2005 – lembro deste detalhe particular porque achava o máximo a revista, até imprimi algumas edições e certamente me estimularam ainda mais a comprar “velharias”. O que aconteceu com o projeto, ele está parado? Há interesse de voltar?

M: Era não, ainda sou. A revista ainda existe. Ocorre que de uns tempos para cá passamos a publicá-la com espaços de tempo bem maiores. A mais recente saiu em dezembro de 2010, mas já estamos preparando a próxima, que sairá em julho agora. Aguardem por matérias, reviews e entrevistas muito legais!

E: O Brasil passou por todos aqueles conhecidos problemas nos anos 80, e um dos principais teria sido a famigerada “reserva de mercado”. Ao mesmo tempo, tal fato criou a cultura dos clones que, no final das contas, marcaram nossa história. Conte-nos porque 1983 foi o ano dos videogames no Brasil.

M: 1983 foi o ano em que, efetivamente, as empresas nacionais resolveram arregaçar as mangas para colocar à venda, “oficialmente”, os primeiros consoles no Brasil. Claro que, por meio de contrabando e de vendas na Zona Franca de Manaus, os videogames já chegavam ao país desde fins dos anos 70. Só que em 1983 os primeiros consoles foram realmente produzidos por aqui e chegaram às lojas, tornando-se acessíveis à população. Foi quando a febre do videogame acometeu o Brasil!

E: Qual conteúdo encontraremos no seu livro?

M: Eu procurei contar, sem “encher linguiça”, em que termos os primeiros videogames foram lançados, como as empresas nacionais se envolveram e desenvolveram suas idéias e estratégias, de que modo foi a aceitação por parte dos consumidores e outros detalhes. Tentei também – e sempre que possível – embasar as informações com dados reais retirados de publicações da época (jornal Folha de São Paulo, revista Veja, revista Exame, revista Vídeo News etc.). Faz muito tempo, faz quase 30 anos!

Importante ressaltar que o livro somente contém informações acerca dos primeiros aparelhos vendidos no país: Atari e similares, Odyssey, Intellivision e Colecovision. Não há material algum, por exemplo, sobre NES, Master System, Mega Drive etc.

E: Quais foram suas principais fontes de informação? Imagino que possua coleções de Micro Sistemas, CPU-MSX, Ação Games… elas fizeram parte do seu material de pesquisa?

M: Bem, além da memória de quem viveu o período, utilizei os acervos digitais do jornal Folha de São Paulo e da revista Veja, bem como outras publicações da época, tais como as revistas Exame, Micro & Video, Vídeo News e Video Magia, além de alguns sites muito bons. Pesquisei muito mesmo!

E: Qual seu console e micro-computador antigo favoritos?

M: Meu console do coração é o Atari 2600 mesmo. Ganhei o meu no Natal de 1983. Foi muito bacana, tenho inúmeras boas recordações do “inimigo”. Meu micro clássico favorito é o Atari 800, que não chegou a ser fabricado no Brasil. Estes são os únicos dois itens que ainda mantenho.

E: Fala pra gente seus 5 jogos favoritos, em qualquer plataforma.

M: Não necessariamente em ordem de preferência:

River Raid (Atari)
Demon Attack (Atari)
Desafio Estelar (Intellivision)
Zaxxon (Colecovision)
Renegade (ZX Spectrum)
Castle Wolfenstein (Atari 800)

E: O que acha da geração atual de jogos eletrônicos? Você joga nos consoles atuais?

M: Eu acho bacana. Há jogos verdadeiramente fascinantes. Só que, para mim, os consoles modernos não têm o mesmo impacto, o mesmo “frescor” de antigamente. É questão, de fato, de nostalgia, tenho de concordar. Eu possuo um Xbox 360 com o Kinect, mas quem jogam mesmo são minha esposa e minha filha. Elas adoram jogos como Dance Central e Kinect Sports.

E: Ainda falando em geração atual, a durabilidade dos consoles foi posta em xeque por conta de aparelhos falhando sob condições normais de uso, alguns até mesmo em menos de 1 ano – e sendo condenados. O videogame atual é um produto descartável ou estas falhas têm motivos técnicos e serão corrigidos com o avanço tecnológico?

M: Creio que esses problemas decorram da pressa de se lançar consoles cada vez mais complexos antes da concorrência. Acredito que os projetos não sejam testados à exaustão, ou seja, a pressa para bater a concorrência é tanta que os produtos vão parar nas prateleiras um tanto prematuramente. Esta é a impressão que tenho. “O importante é chegar na frente!”

E: O que acha do “movimento retrogaming” ganhando força e popularidade, através de publicações periódicas impressas como a britânica Retro Gamer ou mesmo a OLD!Gamer brasileira, fora a infinidade de sites e blogs sobre o assunto?

M: Eu acho bacana. É importante cultuar o passado, reviver coisas que foram muito importantes para nós. Só não pode virar obsessão, deixar de ficar com a família para ficar com os games ou viver exclusivamente do passado.

Um dos grandes problemas da vida adulta é que, com frequência, esquecemos das coisas que um dia foram importantes. Um dos grandes males do Homem é esquecer-se.

E: Para terminar, como e quando poderemos adquirir o seu livro?

M: O livro teve sua diagramação finalizada exatamente hoje. Estou montando uma lista de interessados para poder dimensionar a impressão. Peço a todos que tenham interesse que, por favor, enviem e-mail para euquero1983@gmail.com.

Quando a coisa estiver bem engatilhada mesmo (em até uma semana, creio), as instruções para compra serão enviadas. O livro tem preço máximo de R$ 50,00, mas este valor pode cair se houver bastante procura.

Obrigado!

* * *