Anúncios

TheBoss 007 – Halo 4

Master Chief está de volta. Halo está de volta como o FPS de sempre que tão bem representa o Xbox 360.

Só que, neste jogo em especial, Halo 4 tem ares de um título feito, quem sabe, para o Xbox 720…

TheBoss 007

Halo 4

 

Download MP4 TheBoss 007 – Halo 4

* * *

Anúncios

29 Respostas

  1. Correndo o risco de soar puxa-saco outra vez, mas… fucking awesome o programa.

    Vi outros reviews em vídeo do Halo, mas nenhum deles passou tão bem o clima do jogo. Quando aparecem os prometheans, e você mira num que está voando, holy shit! Muito boa a ação.

    E você não poderia estar mais certo quando disse que o fã de ficção-científica não precisa mais ir ao cinema. Com Halo, Mass Effect e até um promissor Alien pintando no início do ano que vem, estamos muito bem servidos nos games.

    A fase da floresta tá uma beleza, hein? Que maravilha. Pilotar o mecha também parece bem legal, e você escolheu bem naquela cena difícil, ficou incrível.

    Não conheço nada da franquia — estou correndo atrás do prejuízo agora, comprei hoje o remake de 25 anos do primeiro Halo numa promoção do Submarino — mas tenho a impressão de que a 343 conseguiu manter o alto nível estabelecido pela Bungie.

    Ha ha ha, Master Chief gripado! É mesmo, que ridículo! Santo Deus, Halo 4 só importado mesmo.

    Ôoooo! Que classe, descendo da nave com o jet pack! Lindo! Gostoso! ^_^

    Curtir

    • Pô Gagá, valeu viu. Estava ansioso para que você visse o poder do seu console da geração “7.5” com esse Halo 4, rapaz…

      E continua impressionando, após subir o vídeo continuei a campanha e visuais completamente novos têm aparecido. É muito dinheiro pra fazer isso tudo, rapaz…

      Caraca, você fechou o trio com o Colonial Marines, puutzzz… estamos feitos.

      E lembrando que vamos dar um jeito de fazer uma troca de jogos, à moda antiga. Vou querer o Halo Anniversary, sei lá, te mando o Blue Dragon ou Halo Reach, sei lá. Vamos ver isso mais a frente viu :)

      Nota: implorei para o Gagá comprar a versão brasileira do Halo 4 só pra ele “secar” as traduções, aham, “discutíveis”. Mas ele disse “que nem pela ciência compra o nacional”, depois de escutar a dublagem… uma pena, teríamos o primeiro TheBoss só com “rant”! :)

      Ô Orakio, aquela cena do “Master Chief gripado” era parte da coletânea que eu estava preparando para você “secar”…

      Curtir

  2. Vi que você é fã do Needler em Halo Reach, Eric! Essa arma é muito eficiente, gosto muito dela também!

    HAHAHA, os xingamentos fazem parte :-) E gostei da tag “Direct X 7”

    Sobre Halo 4, parafraseando o Gagá: Holy Shit! Você não estaria mais correto em falar que é um jogo da próxima geração, um jogo de um “Xbox 720”. Que gráficos absurdos! Vale lembrar que, mesmo no lançamento de Reach, os gráficos não me surpreenderam muito, não que sejam ruins, mas costumo dizer que é um jogo onde você se impressiona notando os pequenos detalhes e direção de arte. Mas esse Halo 4, não! Ele é um nítido “soco na cara” :-)

    Para os amigos novos na franquia, talvez não faça muito sentido o que vou dizer, mas para Eric e outros fãs de longa data de Halo, acho que dá para dizer que Halo 4 é “Halo”, mesmo sem jogá-lo, vi que tem a “pegada” dos jogos da franquia. A 343 cuidou bem deste título, deu gosto de ver!

    Sobre a dublagem, sempre preferi a original, mas desde Halo 3, peguei todos lançados no Brasil, com dublagem em português, ainda que ache a voz do Master Chief melhor na dublagem americana, ainda ia… porém, ouvi muitas reclamações que, independente dos timbres de voz, há muito quebra de sincronia tanto labial, quanto com a ritmo da cena eisso, amigos, é imperdoável depois de todo experiência adquirida com localização dos jogos anteriores.

    Se eu comprar o jogo algum dia, será a versão importada, com certeza. Digo “se”, pois estou com birra e estou “boicotando” o jogo por motivos, talvez, bobos. Vi que o próprio Eric comentou que a trama está um tanto complexa, mas a minha bronca foi o relato de que os Forerunners (até então, extintos!) estariam presentes no jogo. Dei uma lida sobre os Prometheans na Halo Wiki e me pareceram que são uma outra raça ligada ao império Forerunner. Se forem só eles que aparecem e nada dos Forerunners extintos, ok: eu engulo a história. Caso contrário, devo ficar em negação por um bom tempo e talvez compre o jogo apenas numa promoção.

    Pode parecer (ou ser) idiotice de minha parte, mas até gostaria de perguntar aos amigos sobre isso, se souberem.

    No mais, um dos melhores The Boss já feitos pela Cosmic Effect Team! Me passou a sensação dos saudosos Cosmic Casts um pouco mais antigos, como o de Crysis! As cenas foram muito bem escolhidas. Salvo minha resistência a parte da história do game, vejo que em todo o resto, está impecável! Acho que quem comprar o título não se arrependerá nem um pouco! Vamos ver se este cabeça dura aqui muda de ideia! Mas confesso que já fiquei muito “balançado” por esse vídeo aí! Talvez o próximo do Multiplayer me faça ceder ao embargo, hahaha. Um grande abraço!

    Curtir

    • Pô, needler é incrível mesmo, o detalhe dela ser “levemente teleguiada” é seu grande appeal! :)

      Rapaz… interessante você ler como DirectX 7! Ficou melhor que a encomenda! Vou te contar a verdade: é o sintetizador da Yamaha de 1982 (sou completamente LOUCO pra ter um dele):

      Haha, mas agora acho que vou adotar o DirectX 7 mesmo viu, valeu!

      É “o” Halo, tem razão Frank. E olha, a campanha está ficando cada vez melhor, joguei à tarde inteira hoje e a coisa está começando a ficar sedutora. E sim, a 343 aproveitou tudo, a única coisa que mudou… foi a logo, rs…

      Rapaz, tem falhas gravíssimas de sincronismo no 4 PT-BR, eu mesmo capturei um grito daquele comandante Del Rio que ficou “dublagem do SBT ainda seria melhor” sabe? Putzzz… embaraçoso mesmo, não mexeram no lipsync.

      Bom, e se a história “convoluted” desses jogos têm tanto peso assim na sua decisão, só lhe digo isso: está perdendo um hiper-divertido de um gameplay viu mister Frank (mas aprecio sua decisão de economizar mais à frente, obviamente). As cutscenes são rápidas, já até filtrei a dublagem (o cérebro dá logo um jeito, rs). E sim, só compre a importada, não cometa o erro do impaciente aqui, rsrs…

      Que bom essa sua lembrança, do Cosmic Cast do Crysis. Fico feliz mesmo. Vamos tentar sim um “DLC” deste episódio, avisarei. Abração Frank!

      Curtir

      • hahaha, olha só o DX7 era então um sintetizador! A propósito, você conhece o Vince DiCola? O cara manda bem nos sintetizadores, se quiser dar uma conferida, fiz até um post no blog de um amigo esses dias:

        http://positroniko.com/2012/11/14/vince-dicola-e-suas-musicas-edificantes/

        Ah, está 100% decidido então, Eric: Halo 4, só se for importado! Só fiquei “bolado” com esse lance da história exatamente pelo capricho que deram a ela anteriormente, mas assim que achar uma oportunidade boa de preço de uma versão importada devo pegar. Valeu!

        Curtir

  3. Rapaz, o Halo IV realmente se superou, estou jogando a campanha e meu nível de satisfação e admiração ao jogo estão do mesmo nível que o seu Eric. O estúdio novo não deve nada a Bungie e nos presenteou com as bases para uma nova trilogia que só acabará na próxima geração. Realmente a dublagem é triste, estou engolindo seco isso, mas como comprei para meu pai e to jogando o dele antes de enviar para o velho, confesso que já importei um dos EUA, hahaha.

    Curtir

  4. vi sua jogatina no Halo Reach, bem movimentado. me lembrou da época que jogava Goldeneye 007 com os amigos, bons tempos. e o Halo 4 é genial, espetacular. mas tenho que jogar o primeiro Halo, senão vou ficar perdido. quando puder, talvez no Natal eu pegue as duas primeiras versões. muito bom o vídeo Eric.

    e a inteligência artificial com o Chief, Cortana o nome certo? muito bem feita. heheheh

    Curtir

    • Tô casando um dindim que a namorada do Eric não assistiu ao programa, he he…

      E estou no mesmo barco que você, Leandro. Peguei agora o remake do primeiro Halo para o meu Xbox, mas você pode pegar o original de PC que funcione redondinho. Se você ainda comprar o controle do Xbox, roda que é uma beleza no PC.

      Curtir

      • Hahahaha!

        Gagá, história real: ela viu agora à tarde comigo; aí, no “momento Cortana” ela fez só um “hum” e eu segui travado, olhando para a tela. Até agora não fui expulso de casa, então deve estar tudo bem, rs…

        Curtir

    • @FAKEPIX Pois é Sérgio, a dublagem está de doer. Como foi no Halo ODST ou pior… tanto que Halo Reach eu fui paciente e comprei no shopto.net, mas dessa vez Danilo ficou muito no meu pé, ligando da loja e tudo “chegou aqui, pego o seu?” aí não teve jeito… rs… Abração!

      @Leandro alves (@cybertechwyvern) Demais o MP do Halo não é Leandro? Pois é, pra mim é “FPS mais Quake/Doom” que existe, que guarda essa magia. Adorava jogar deathmatch com um colega por modem, em Doom 2: os dois, sozinhos, ambos com uma motosserra, entrando pela madrugada. Halo tem esse clima, especialmente aquela espada, uma arma melee deliciosa de usar, você não tem ideia!

      E tem razão Leandro, Cortana é muito, muito bem feitinha… rsrs…

      Curtir

  5. Que jogo Dukaraio!Muito bom mesmo Cosmonal!Não é à toa que Halo é o carro chefe do X360.Agora eu entendo sua empolgação na hora do unboxing mega rápido KKKKKKKKKKKKK.
    Será que o Jr Paulista sabe que ficou famoso neste The Boss?he he he he.
    Eric,a Cortana é inteligência e beleza artificial ao mesmo tempo,isso sim!E entenda “artificial” neste caso como algo positivo.E pode crer não precisava da SETA apontando pra ela não,KKKKKKKKK,alliás que seta?

    Curtir

    • Rsss.. é Dactar
      Podemos até dizer que esta Cortana é um Halo à parte! rSs

      Valeu!

      Curtir

      • Pode crer Andrey he he he,aliás o CFX poderia fazer um post com as “Damas mais Gostosas dos Games”….Mai Shiranui,Tifa (FF) Ada Wong (RE) e por aí vai KKKKKK.

        Curtir

        • Boa ideia hein, um clipe by Andrey estilo aquele “MulheresWomen” que ele fiz para o dia das mulheres de 2011… :)

          Curtir

          • Olhem ai Dactar e Eric, mais duas sugestões de nome do post:

            “CFXFW* – Gatas Virtualmente Reais”
            “CFX Topmodels – Curvas pixeladas de perder o controle!”

            Vou ao shopping vagar em busca da Pacgirl… ela tem que participar!
            :)

            E depois o público feminino do CFX faz uma seleção dos galãs dos games… deu um branco agora… não lembro de nenhum. (bluescreen…error… PS3 Y.L.O.D.)
            :)
            Valeu!

            *CosmicEffect Fashion Week

            Curtir

            • “CFX Topmodels Curvas Pixeladas de Perder o Controle!”
              Mas é isso mesmo Andrey vc captou a mensagem!
              Como não perder o controle com a beleza e a determinação da Lara Croft,ou então com a coragem e ,digamos,elasticidade de Samus Aran?E como não lembrar da Pac Girl…ah! aquele vestidinho do Pac Man…
              Andrey e sobre os galãs dos games infelizmente não poderei ajudar vc KKKKKKKk Tô Fora KKKKKK.

              C:\Users\Dactar………ERROR………
              A problem has been detected and Dactar has been shut down to prevent boiolagem.
              KKKKKKKKK.

              Curtir

  6. Episódio sensacional, simplesmente fantástico. É como o Gagá falou, este review é o que melhor dá a impressão do “tamanho” do jogo.
    Achei interessante sua dúvida sobre a trama do jogo. Tive a mesma dificuldade mas minha impressão foi que a causa não era o jogo em si, mas a dublagem em português.
    Falando em dublagem, meu Deus o que foi aquilo… Já é o quarto Halo em português, não é possível que a equipe de localização não tenha aprendido a lição. Não vou comentar dos erros crassos de tradução nem da interpretação fraca, o simples fato é que deixa a impressão que a equipe dublou as frases sem ter acesso às cenas correspondentes. Em vários momentos Cortana fala uma frase calmamente para depois explodir num grito de desespero sem que nada tenha alterado na cena. Em outros metade da frase é dita bem alto como se fosse emitida do capacete de Master Chief e na metade da frase a voz fica bem baixa porquê passa a ser emitida da posição de Cortana na cena.
    Em suma. Acho fantástico a iniciativa, mas é necessário tratar o trabalho com seriedade e acima de tudo, deixem o áudio original para quem prefere curtir o trabalho original. Se não há competência então façam como Gears e apenas legenda o jogo.

    Curtir

  7. Grande Eric e equipe CE,

    Obrigado por mais um belo review “The Boss” esse foi especialmente curioso pra mim.

    Não sou um grande fã de FPS, já que não costumo jogar muito on-line e o excesso de lançamentos desse gênero me deixou um pouco enjoado, apesar de ter crescido jogando os clássicos como Wolfenstein, Doom, etc.

    Conheço o primeiro jogo da série e joguei o Halo 3 na época do lançamento, mas fiquei bastante impressionado com o Halo 4, não só pela qualidade de produção geral, mas também pela diversidade dos cenários (algo que, na minha opinião, é o ponto fraco de Halo 1), armas e gameplay.

    Vocês foram responsáveis por despertar novamente o meu interesse na franquia… Muito obrigado!

    Curtir

    • @Dactar Gostei de ver Dactar empolgadão com o Halo! Rapaz, até mandei mensagem pro “Jr Paulista 28” na Live mas até agora não respondeu, mas pude notar que não sai de Halo 4 (já comprou também, rs). E não é rapaz, não precisa nem dizer que é uma lembrança constante do jogador — ela merece toda atenção quando é holograficamente projetada, até Léia holográfica de Star Wars perde pra ela, rs…

      Aproveitando: há uma certa tensão entre Master Chief e Cortana neste Halo 4, ainda não terminei a campanha mas tudo leva a crer que Master Chief vai virar holografia também…

      @Dancovich Putz, acho que tem razão mesmo: a dublagem, sem querer pegar no pé de quem dirigiu o negócio todo, atrapalha um pouco a compreensão geral. Não sei, estamos tão acostumados com as expressões originais, deixei a legenda em inglês ligada pra ver se ajuda mas… bom, agora é não fazer o mesmo em Halo 5. Vamos fazer um pre-order internacional e pronto, combinado Dancovich? :)

      @Marcelo Martins Sou do seu time Marcelo, Wolf, Doom & cia e depois “parou”; com as honrosas exceções como Unreal e os parcos lançamentos do gênero da id, Halo foi a escolha “se é pra jogar um FPS atual, que seja este”. Nada contra os outros, mas a temática e a variedade que a ficção científica permite (ficar invisível, jet pack, etc) deixa o gameplay mais rico, acredito.

      E o negócio impressiona mesmo, Marcelo. Não é exagero não, ontem mesmo fui num local que fiquei com dó de não ter colocado no vídeo — de tão detalhado que era o mapa.

      Muito legal saber que o vídeo chegou ao ponto de fazer-lhe interessado novamente na franquia! Abração Marcelo!

      Curtir

  8. O Jr Paulista foi de vilão ha um grande aliado no multiplayer rsrs, que jogo fantástico esse Halo 4, mesmo nao assistindo em alta definiçao da para reparar que os gráficos são (sem trocadilhos) coisa de outro mundo! E Essa dublagem, acho que até a dublagem do Tela Class, antigo progama da MTV era melhor ehehe, vc tem idéia de porque eles nao incluíram a dublagem original Eric? Seria por causa de espaço? Pelo menos o jogos que joguei no Play3 que possuíam dublagem em portugues tinha como escolher o audio original. Veja pelo lado bom, pelo menos comprando a versao BR vc está ajudando o mercado brasileiro de games!

    Curtir

    • “foi de vilão a aliado no multiplayer” ahahaha, sensacional!

      Ô rapaz, no Tela Class… aí estaria no lugar certo mesmo, rsrsrs…

      Boa pergunta MESMO Leo: desde Halo 3 eles não incluem, é uma “localização à força”. O espaço poderia ser uma questão, mas faixa de voz comprime tão bem que dá pra duvidar disso. Temos de pensar como falou mesmo, ajudando o mercado brazuca e fecha os olhos (digo, ouvidos, rs)!

      Curtir

  9. Grande Eric, super TheBoss esse, heim?!
    De Halo só joguei Halo Reach até hoje na casa de um amigo e isso já faz mais de um aninho, mas me lembro da sensação ao jogar/atirar até hoje, pensei: “nunca tinha experimentado uma jogabilidade tão precisa assim em um controle, mesmo nos “MW” e “CoD” da vida”.

    Esse jogo tem uma jogabilidade duca mesmo e ótimos gráficos, cada nova versão superando a anterior.

    Jr paulista 28 grande protagonista no episódio, um renegado que resolveu dar a volta por cima e entrar pro time “sangue bom”…rs. Você devia se enturmar Eric, manda o link desse TheBoss pela live pra ele te visitar, quem sabe não lemos o comentário dele por aqui…rs
    “Vou soltar um míssel, não, jr paulista tá lá rapaz, vamos aguardar ele sair dali, saiu, tá ali embaixo agora, não jr não vá, não vá, desce, ae perfeito, pegou”. Jr paulista o mito…rs

    Em resumo, ótimas referências no episódio: motosserra de Doom, The Dig, speeder (Star Wars), MechWarrior, e mais algumas que deixei passar…

    Cara, que final de vídeo lindo, as três mortes seguidas com a espada, boa jogada, parabéns…rs

    Ótimo vídeo, muito legal MESMO Eric!!
    Abração!!

    Curtir

    • Super Julio! Rapaz, vou tentar novamente fazer com que o Jr paulista 28 veja o vídeo, rs, mandei uma mensagem pelo Xbox mas ele não respondeu; seria curioso mesmo se ele pintasse por aqui e comentasse!

      E não, você não deixou passar nenhum referência! Faltou só uma capturinha do MechWarrior naquela hora… rapaz, e aquela cena da espada Julio, fiquei muito feliz por ter acontecido exatamente quando estava capturando! Aquilo foi muita sorte, pegar a espada e dar cabo de 3 em seguida?

      Valeu grande Julio, já subindo outro TheBoss pro youtube viu… abração!

      Curtir

  10. Ah, enfim, consegui ver, Cosmonal… Estava tendo problemas de conexão aqui e quando colocava em 1080p o vídeo demorava muito para carregar.

    Só joguei os Halos 1 e 3 (bizarro, eu sei) apenas o single player, já que não sou fã das jogatinas online. Em ambos faço duas ressalvas. Primeiro, uma coisa que me incomoda é a falta de elementos visuais que realcem o fato de o jogador olhar através do visor do capacete. Você parece controlar um cara qualquer, não um cara de armadura. Sabe como é, a imersão do Metroid Prime deixa mal acostumado… Eu acho que a Retro Studios soube aproveitar muito melhor essa característica.

    A outra é a encheção de linguiça de cenários, se não me engano até mais no 1 do que no 3. Acontece muitas vezes de o jogador entrar em um corredor cheio de inimigos, chegar até o final dele e depois ter que voltar pelo mesmo caminho, claro, com uma nova frota de inimigos. Não acho que isso sirva para diminuir a linearidade (embora, até mascare um pouco), mas parece mais uma tentativa de adicionar algum tempo extra de jogo reaproveitando os mesmos cenários de uma forma que não considero muito criativa.

    Tirando essa minha birra, que não sei em qual proporção aparece no Halo 4, acho incrível a grandiosidade dos ambientes desde o 3 e que adquiriu proporções descomunais no 4 pelo que vi no vídeo. Além disso, os gráficos estão embasbacantes. Por mais que digam que essa geração já cansou, eu ainda me pergunto se não seria mais valioso vermos mais jogos explorando os consoles até o limite antes de partir para uma próxima.

    No mais, outro grande episódio do The Boss. Como sempre, achei muito bem sacadas as referências a outros jogos, especialmente porque na maioria das vezes mal me daria conta delas, como foram os casos do The Dig e do MechWarrior.

    Curtir

    • Alexei, meu caro, ainda bem que você faz questão de ver em 1080p, meu velho! Mesmo o jogo não sendo nativamente 1080p, no caso do youtube específico, o bitrate desse modo é bem maior que 720p, e esse jogo merece… até ganhou “Best Graphics” no VGA 2012 anteontem, olha só!

      Curiosamente, Alexei, sobre o que falou da visão dentro do capacete, no Halo 4 há alguns detalhes visuais nos cantos simulando a presença do capacete, coisa que não acontecia nos anteriores (acho).

      Eheheheh, e deu pra ver claramente que você não anda muito fanático pelos FPS atuais; mesmo no Halo em questão, a fórmula meio que se repete mesmo: cenários são desculpas para arenas de tiro. Metroid Prime e Mirror’s Edge são os que apenas têm visão em primeira pessoa, são bichos completamente diferentes dos shooters (claro que você sabe disso, estou apenas ressaltando, rs). Ou seja, isso que falou sobre repetição e linearidade procede.

      Por outro lado, estes jogos novos first-person shooter “cospem” gameplay. Ok, é “tiro ao alvo”, Space Invaders em 3D, é verdade… mas com o tempo, você descobre um tipo de estratégia: uma estratégia mais visceral. Sim! Não dá pra jogar no Heroic ou no Legendary em Halo (ou os níveis de dificuldade equivalentes nos outros FPS da moda) e sair pra cima dando tiro. Não quero dizer que eles virem Metal Gear, mas há uma coisa intermediária aí, como falei, “visceral” no jogador que contribui para o “joguinho de tiro” se torne uma experiência mais gratificante. Mas não tem jeito, Alexei, linear e repetitivo, eles são até onde não podem mais, rsrs…

      Também estou com você, essa geração ainda tem hardware pra dar. Mas paciência, chegou a hora da “oclusão de ambiente do DirectX 11” chegar aos consoles domésticos, a grama de Crysis 3 está aí pra mostrar que, visualmente, o negócio até que impressiona a gente, velhaco que não se engana mais com gráficos.

      Valeu mestre Alexeivania! :D

      Curtir

      • Ah, se o 1080p está disponível, não tem por que não ver nessa qualidade. rs Faz toda diferença. Lembro no começo do YouTube quando os vídeos não passavam de 360p… era um lixo.

        A respeito do lance do visor do capacete, eu notei o que você falou no Halo 4 pelo vídeo, e, se não me engano, no 3 já havia uns detalhes também que melhoravam isso. Mas, para citar um exemplo prático da minha reclamação: no Halo 3, se você ficar embaixo de uma cachoeira, não vai fazer a menor diferença o tanto de água que cair na cara. Enquanto isso, o Metal Gear Solid 2, que é de 2001, e o Metroid Prime, de 2002, já mostravam a água escorrendo pela tela. Eu sei que é excesso de preciosismo de minha parte, um detalhe bobo, mas, considerando que o Halo é um jogo AAA, caro e famoso, poderia haver mais atenção a esse tipo de coisa.

        “e deu pra ver claramente que você não anda muito fanático pelos FPS atuais”

        Olha, pior que não é nem tanto o caso. É engraçado notar que a maioria dos chamados retrogamers costuma não gostar de FPS, que é gênero predominante nesta geração. No meu caso, não, até porque, assim como você, eu jogo tanto coisas modernas quanto velhas. O FPS é um dos meus gêneros favoritos, embora ande bastante desatualizado (ainda pretendo jogar sim o Halo Reach, 3 ODST, 4 etc.). Até mesmo o Call of Duty, a série mais estigmatizada e odiada pelas sequências intermináveis, está entre as minhas favoritas.

        Mas, voltando ao Halo… eu senti mais isso da repetição no primeiro, na verdade. No Halo 3 já achei a variação de cenários e de situações de jogo muito melhor. E realmente não é só sair atirando aleatoriamente, como o jogo permite criar diferentes estratégias.

        Outra coisa: acho curioso hoje os FPSs serem criticados pela linearidade, considerando que os primeiros exemplares do gênero, talvez pela origem em comum com os RPGs, eram o completo oposto disso, com o jogador se aventurando por um labirinto, com múltiplos caminhos e várias áreas para serem exploradas – vide Wolfenstein 3D, Doom etc.

        Curtir

        • Haha, é mesmo, a água em Prime escorre bonito… de fato, não é preciosismo só não…

          Compreendi bem o lance dos FPS também. Ah, Doom e Quake… muito bem lembrado, Alexei, nem dá pra dizer que são pais do gênero mais, pois os filhos de hoje têm zero de exploração, rs… estão mais pra filhos bastardos, rs…

          Pô, Commander Keen e fanatismo por Super Mario de Romero/Carmack foram a garantia de que a “trilogia id” de first-person shooter fosse tão memorável como, simplesmente, jogo de videogame…

          Abração Alexei!

          Curtir

  11. […] alavancas analógicas do joystick. De lá pra cá… é só fanatismo. Halo 4 é tão bonito, mas tão bonito que você nem acredita que está rodando no Xbox 360 e sua placa de vídeo de 2005. Tanto que […]

    Curtir

  12. Estava passando por aqui e resolvi comentar novamente! ;-)
    6 meses depois, eis que compro o jogo, realmente do ponto de vista de economia, valeu a pena, pois peguei o jogo a R$ 53,91 numa promoção (infelizmente não foi a versão americana, peguei a nacional mesmo). A respeito da dublagem, creio que os maiores culpados não são os dubladores, pois está claro que apenas lhe deram as falas, se eles tivessem acesso as cutscenes, tenho certeza de que ficaria muito melhor o resultado!

    Referente ao jogo e sua campanha, é sensacional! Mantenho minha crítica quanto a parte dos Forerunners, mas mesmo assim a narrativa é bem feita e temos vários momentos épicos, 2 deles em veículos. Acho que mesmo quem comprou ou comprar o jogo no preço cheio, está fazendo bom negócio, pois além da bela campanha, temos o já conhecido multiplayer que continua ótimo. E além dele, um ótimo modo cooperativo chamado Spartan Ops, com o diferencial de ter episódios, cutscenes para ambientar as missões e, pelo que ouvi falar, irá funcionar por temporadas, então devem continuar produzindo vídeos e novas missões. Fator replay se torna incrível, ainda mais sendo o provável último Halo para o console desta geração.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: