Anúncios

Game Music Original > Mike Moe – Tema De Abertura

Amigos, uma game music “rapidinha” para vocês escutarem:  Mike Moe – Tema De Abertura do Mike Moe And The Haunted Lab, jogo para Windows do nosso Mario Cavalcanti. Havia colocado por aqui anteriormente a música principal, que certamente seria chamada de “BGM 01” se estivesse num soundtest de um cartucho do seu console 16-bit favorito (risos).

O tema de abertura foi a primeira das 5 composições que fiz para o Mike Moe. Importante para definir o tom da trilha e os timbres (instrumentos) a serem usados no restante das músicas.

Acredito que seja costume entre os compositores de música (especialmente a de base eletrônica, sintética) para videogames: definir, a partir da primeira música composta, o colorido sonoro dos instrumentos que vai governar o restante do trabalho naquele jogo.

Vamos ver se tenho uma chance para ela no playlist de vocês, amigos! :-)

Mike Moe – Tema De Abertura (by Cosmonal) [2011]

A faixa-bônus deste artigo é uma curiosidade. Deixa um pouquinho a game music, mas nem tanto. Afinal, deve ser quase nula a existência de retrogamers brasileiros que não são amantes de Thundercats, Caverna do Dragão e, claro… He-Man.

Sem mencionar minhas corridas desenfreadas com a mochila nas costas ao sair da escola para chegar a tempo de assistir He-Man ao meio-dia, a trilha sonora daquele desenho era tão, mas tão fantástica, que fico até triste com o fato de somente na vida adulta e com a existência da Internet pudemos apreciá-la enquanto não estávamos acompanhando Adam e o Gato Guerreiro na tela.

Um belo dia, pesquisei no Napster por “he-man” e… nem acreditei, lá estava ele nos resultados: o tema, original, completo, em alta qualidade de He-Man! Um dos downloads mais felizes de toda uma vida.

Há exatos 10 anos, em 2002, finalmente pude adquirir meu primeiro sintetizador. Sempre tive teclados e usava MIDI com o computador, mas nunca fui dono de um instrumento “de verdade”, na linguagem do tecladista. Até então. Após muito batalhar, tive a sorte de uma pessoa trazer dos Estados Unidos o Korg Triton, um teclado/sintetizador revolucionário, que havia sido lançado há pouco tempo — em 1999.

Curiosidade ainda mais off-topic, amigos: esta pessoa que fez a grande gentileza de trazer o instrumento dos EUA, era, na verdade, uma funcionária de uma ótica de Salvador. Eu era um terceirizado no suporte de TI, entre 1999 e 2002, daquela empresa. A colega havia se relacionado com um americano, pela revolucionária “Internet”. O seu então futuro marido estava de viagem marcada para conhecê-la aqui na Bahia. Um americano muito, muito simpático, ofereceu trazer de lá “coisas” para quem ela quisesse — prática comum, antes da difusão do comércio eletrônico.

Seria uma grande chance para mim. Aqui em Salvador, o Korg Triton em 2002 custava exatamente 12.000 reais (!) naquele ano, na única loja que oferecia o instrumento para vender por estas bandas. Com o dólar baixíssimo da época (acho que estava R$ 1,2 apenas!), ele custou exatamente R$ 5000,00 nos EUA! Eu estava juntando, lentamente, para compra-lo dividindo em parcelas. Esta grande chance oferecida pela colega, permitiu-me comprar à vista pois já tinha conseguido juntar aquela quantia trabalhando como autônomo em informática/TI.

Imagina só a dimensão do favor desta colega: pediu para que ele comprasse o Triton por lá e trouxesse no avião para mim! Pois é amigos: eu, que só viajei de avião uma única vez na vida, fui buscar este americano no aeroporto com a sua futura noiva — porém, eu estava 10 vezes mais empolgado com a chegada do rapaz do que a própria colega (risos).

Enfim, ele apareceu no desembarque com um enorme case e eu tive certeza: era ele, o Triton! O americano trouxe como se fosse um instrumento musical dele próprio, portanto passou facilmente pela alfândega. Não paguei nenhum imposto adicional!

O instrumento foi um marco na área da produção musical, pois era realmente revolucionário naquele tempo. Não entrarei nos detalhes aqui, mas imagine um único console que rode jogos de PS3, Xbox 360 e Wii… seria o equivalente gamístico ao impacto do Triton para produtores profissionais de música. Para se ter uma idéia do poder de fogo do sintetizador (na época): A música “Can’t Get You Out Of My Head”, da inglesa Kylie Minogue, foi inteiramente produzida neste instrumento eletrônico. Incluindo, até mesmo, a captura e pós-produção da voz da cantora.

Poucos anos depois de 1999, a velocidade dos PCs e Macs permitiram a migração das funções de produção completamente para os computadores. Hoje, há pouco sentido em produtos como o Triton. Porém, o fato dele ser um instrumento dedicado, faz com que mouse, interface de computador e outras distrações fiquem de fora: fazer game music neste instrumento, para mim, é como jogar no console real, sem emulação…

O que isto tudo tem a ver com a música de He-Man? Empolgado com um timbre de guitarra existente no Triton, incrivelmente realista na época, fiz uma brincadeira enquanto aprendia a manipular no teclado novo e toquei ao vivo uma guitarra (ao teclado, claro), por cima da tal MP3 do tema do desenho animado baixada no Napster. E é este “remix” que fiz em 2002 que coloco aqui para vocês escutarem, amigos.

Não é game music; mas o tema de He-Man é tão bonito, épico, que facilmente poderia ser… Os créditos da trilha sonora original de He-Man and the Masters of the Universe são de um israelita chamado Shuki Levy, compositor também dos temas de Power Rangers (dentro outros sucessos da época). Espero que gostem!

He-Man Theme With Rock Guitar  (Synth Guitar by Cosmonal) [2002]

* * *

Anúncios

15 Respostas

  1. “Pelos poderes de Grayskull! Eu tenho a força!”. heheh

    Boas lembranças Eric! Ótimo vc ter enriquecido o texto com essa história pessoal sua!

    Mário, quando você vai nos brindar com um post dedicado ao Mike Moe? Como programador, fico curioso em saber detalhes técnicos!

    Forte abraço

    Curtir

  2. Mais um otimo post sobre game music e… He-Man!!! hehehe

    Curtir

  3. Muito boa essa guitarra no He-Man, ficou legal demais.
    A abertura de Mike Moe é parecida com a de Streets of Rage, que começa contando a historinha e tal? Ela é bem tranquila, eu consigo ver alguns letreiros enquanto a música toca…

    Curtir

  4. Mike Moe é muito bom e suas composições Eric,sempre de primeira qualidade mas quem roubou a cena hoje foi o He-man!
    Pelos poderes de Grayskull Cosmonal,quantas vezes eu almoçava com o prato no colo em frente a TV,he he he.Também estudava de manhã só pensando em chegar a tempo,eu saia 11:35AM 11:40 AM da escola,só na correria,he he he.
    Alguém lembra do Napster por aí?Bem lembrado Cosmonal.
    Sorte sua Cosmonal ter uma amiga,namorada do americano e o cara ser gente boa de oferecer trazer “as parada” dos EUA,legal mesmo.Sua estória me lembrou na época do Super Nintendo que eu caçava algum brother que fosse ao PY,trazer um SNES pra mim.

    “porém, eu estava 10 vezes mais empolgado com a chegada do rapaz do que a própria colega…”

    ha ha a ha me matei de rir aqui,eram dois ansiosos esperando o americano no aeroporto,cada um com suas razões.Eric na boa,este foi o seu momento NINTENDO 64 foooouuuurr,fala a verdade.
    Karaka Eric vou te falar,esse tema de He-man foi de arrepiar,sensacional mesmo.Tipo você escreve “espero que gostem” putz é impossível alguém que viveu esta época “oitentista” não se emocionar com esse som de guitarra e o coro ao fundo “He-man”.

    Curtir

    • @Guilherme Pô, não é que fiz uma musiquinha à parte só para a parte da historinha, mister Guilherme? Legal você ter mencionado, colocarei-a no próximo post então! Abração meu velho!

      @Dactar Opaaa, descreveu com riqueza de detalhes muitos almoços dos anos 80 ao som da trilha e da dublagem da voz “original” de He-Man e Indiana Jones!! Rapaz, era mesmo, você também suava pra chegar a tempo? Putz, boas lembranças, valeu Dactar.

      E o Napster teve vida curta mas, putz, foi um tempo inesquecível. Antes dele, lembra como era lento caçar música e mídia nos fileserve de mIRC… depois dele, WinMX, eDonkey… tudo explodiu e chegou no acesso incrível que temos hoje à mídia. Viva a democracia do acesso à mídia, instituída pelo Napster, hehehe! :)

      Rapaz, e não era mesmo o lance da empolgação no aeroporto? Tudo bem, ela estava bem nervosa “romanticamente falando”, mas eu quase tasco um beijo naquele americano também, quando ele abriu o case e o teclado branco estava lá dentro, hehe! Foi MESMO um momento sixty-four! hehehehe! Abração Dactar, ao som da menor letra de música-tema de desenho animado já composta:

      [Refrão]
      He-Man!
      [Fim]

      “Em pequenas composições estão grandes aventuras…”

      PS: Dactar/turma: já jogaram o He-Man do Intellivision? Um vizinho tinha e era simplesmente impressionante visualmente! E a música tocava na abertura… eu sempre achava que iriam fazer pra Atari, vivia perguntando pra qualquer amiguinho novo que tinha Atari: “você tem o jogo do He-Man?” Rsrsrs…

      Curtir

      • He-Man sempre traz “um balde” de lembranças.
        Thundercats…Caverna do Dragão…e os seriados?! A “Super Máquina” e o “Trovão Azul”…de certa forma a TV aberta teve muito peso na minha infância e hoje não representa nada,ou quase nada.Como vc disse Eric “Viva a democracia do acesso à mídia”.
        Caramba bem no início da rede eram tempos nervosos he he he,uma luta para baixar um arquivinho de 4MB.Lembro que eu tinha um poderoso Modem 56k Us Robotics,ele sempre conectava no máximo e nunca caía,ou quase nunca he he he.Eu discava e rezava,se nada acontecesse,OK,tava conectado!
        He-Man!!!Ha ha ha ha sem dúvida a menor letra Ever!!!
        Nunca joguei He-Man.No Intellivision,eu já vi no Youtube alguns reviews, sem dúvida parece ser interessante,com certeza visualmente é melhor que a versão do Atari,que também não joguei.Eu sempre fico com cautela quando um desenho ou seriado “vira” game,já saiu muita coisa ruim por aí.
        Ótimo post!

        Curtir

      • Eu joguei He-Man do Intellevision Eric! Um vizinho meu em Vitoria da Conquista tinha. Lembro que era bem feitinho mesmo, o Intellevision tinha um poderio gráfico superior realmente ao Atari e Odyssey, mas não era tão popular assim. Lembro que o controle era estranho, não tinha o “stick”, mas no lugar tinha um círculo que usavamos para direcionar.

        Curtir

        • @Dactar Era “O” modem na época, “quem tinha um Robotics não tinha um Zoltrix…” fazia diferença ter um Robotics! Rapaz, impressiona mesmo o He-Man do Intellivision, não? Parece uma exceção das adaptações para videogame, esquecida em um console esquecido… rsrs… Abração!

          @eulervicente Caraca, então você conhecia também! Não era impressionante? Euler, sabe quem tinha aqui, você deve lembrar daquele vizinho do prédio ao lado, o “Ivonilson”? Hehe, ele quem tinha um Intellivision e tinha o He-Man, rs… era bizarro mesmo jogar no disquinho do controle que não era analógico, se não me engano eu nem conseguia jogar, só olhava, rs…

          Curtir

  5. Eric, estou numa correria danada mas não pude deixar de passar aqui e não fazer um comentário.
    O He-Man Theme ficou sensacional, que demais!!
    Parabéns mais uma vez e segue nesse ritmo que a sessão Game Music do site está ganhando conteúdo ficando muito massa!!
    Abraços

    Curtir

  6. gostei bastante da musica do Mike joe e a do He-man me fez voltar aos tempos de moleque…saudades. onde se passava bons desenhos na TV, mesmo sendo bregas hoje em dia. aguardo mais um post musical

    Curtir

  7. granfde post, Eric. já baixando as música de Mike Moe e He-man…saudades dos tempos de enfante terrível. hahahahah!

    Curtir

  8. Cosmonal… vc é o cara! Nunca joguei o Mike Moe e nem sabia q existia, mas pela música dá pra realmente perceber que se trata de um laboratório com algumas aberrações sinistras soltas. Ficou muito maneiro mesmo. Adorei.
    Pela sua música, imaginei a primeira fase do Mike saindo de um laboratório branquinho num jogo estilo Zelda. Com visão do cenário por cima.

    Curtir

    • @Julio Soares (@juliosoaresjr) Opa Julio, valeu meu velho. Tomara que você pinte por aqui amanhã (dia 10)… abração!

      @leandroleonbelmont Valeu Leandro, opa, com direito à download e tudo de sua parte! :-) Abração!

      @Albatross Rapaz, que legal que você até imaginou o laboratório pelo clima da música… putz, é quase isso que você descreveu mesmo! Se tiver tempo/curiosidade, houve um post com a música principal dele que tem umas fotinhas (e até o demo pra download), dá uma olhadinha rápida: https://cosmiceffect.com.br/2012/05/07/game-music-original-mike-moe-tema-principal/ Abração!

      Curtir

  9. Eric,

    Parabéns pelo seu trabalho no Mike Moe. Mesmo sem conhecer o jogo, a trilha em questão me passa uma sensação de mistério e aventura. Os timbres são realmente muito característicos.

    A música do He-Man é inesquecível e o arranjo de guitarra que você fez ficou muito bom e convicente. Em algumas passagens, é difícil mesmo diferenciar o som sintetizado do som real. Isso é ainda mais impressionante se a gente lembrar a idade do Triton! Esse americano realmente foi bem amigo!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: