Anúncios

SEGA is BACK! – Not!

Update: dois dias após este boato a SEGA se pronunciou acerca do mesmo, na E3 de 2010: “Somos uma empresa de software. Certamente não voltaremos ao ramo de hardware”.  Como era de se esperar, mas valeu a pena a discussão :-)

Será mesmo? Será que a SEGA está pretendendo voltar ao mercado de consoles de videogame? Será que, depois de falhar frente aos fãs com fracas continuações de suas franquias de sucesso, ela teria peito para enfrentar Nintendo novamente? E Sony e Microsoft? E o mais importante: há espaço para um quarta console? (ou quinto, se você conta com o Zeebo :p) Antes de mais nada: não estou falando do SEGA Zone. E esse não é o primeiro nem será o último, caso seja mais um “rumor” sobre a volta da SEGA aos consoles.

A incrível notícia (ou boato) que tenho para dar (ou espalhar…) é que parece que sim, pode ser verdade. “Calma lá!” – grita você, cardíaco e fanboy de carteirinha da SEGA. Bom, o que se tem de concreto: um site russo, o Kaldata.com, anunciou no dia 14 de junho, às 23:50 que a “SEGA assinou um contrato com a Imagination Technologies, uma empresa de tecnologia britânica, para que ela desenvolvesse um chipset para seu console de videogame graficamente intensivo de próxima geração”. Continue lendo.

“Ainda não há muita informação, pois o projeto está em estágios iniciais. A SEGA compartilhou que seus planos são para um novo console como competidor direto da próxima geração de Sony e Microsoft. A empresa acredita que, com mais desenvolvimento ao longo do tempo, serão capazes de derrotar as duas gigantes, conseguindo assim uma boa fatia do mercado” – que, outrora, lhe pertencia. A Imagination Technologies fez uma nota à imprensa, no dia 10 de junho, que fornece alguns detalhes sobre o produto que desenvolveram: suporte para gráficos 3D estereoscópicos (S3D) em Full HD 1080p, “trazendo um novo realismo à conteúdos tridimensionais, novas possibilidades de interfaces e diversas aplicações”. O final desta nota contém a seguinte frase: “Neste momento, a Imagination está estabelecendo parcerias com outros líderes em tecnologia”.

Não há nada oficial da SEGA ainda sobre o assunto e isso já aconteceu algumas vezes, mundo online afora. Pessoalmente, gosto de acreditar que isso pode ser verdade. E, ignorando o lado fã da empresa, passei realmente a achar o retorno da SEGA aos consoles uma possibilidade. Veja: o momento dos videogames é de experimentação. O Wii foi o pioneiro quando, em 2006, trouxe o seu novo conceito de joystick para o jogador. E foi o sucesso comercial que todos sabemos. Mas não foi um sucesso com o chamado “gamer de carteirinha”, o tal jogador hardcore que a indústria assim gosta de chamar: ao que parece, a Nintendo trouxe realmente novos gamers para a jogatina. Talvez nem tanto aqui no Brasil, mas nos países onde a cultura gamer já era muito forte, não-gamers realmente parecem ter sido seduzidos pela jogatina cheia de movimento e imprecisão do outrora Revolution da Big N.

Três, quatro anos mais tarde, Sony e Microsoft decidem “inovar” neste ramo exibindo para o mercado o Move e o Kinect (antes “Project Natal”). Ainda não foram lançados, mas a E3 deste mesmo ano de 2010 é a prova irrefutável de que as duas gigantes estão investindo tudo nesta nova maneira de jogar. É neste momento que entra a SEGA.

O Wii foi o pioneiro em atrair e criar os tais jogadores casuais, mas o jogo está indefinido – as duas novas abordagens da concorrência já têm data para desembarcar nas lojas e serão, certamente, acompanhadas de muito, muito marketing. Não saberemos quem “vencerá”, ou se haverá espaço para as três abordagens (não acredito nesta última, pois os custos de desenvolvimento em plataformas tão distintas certamente aumentará). Todas as três empresas querem os não-gamers. Nós, que lemos e/ou escrevemos sobre o assunto, vamos comprar até versão de Golden Axe ruim, desde que tenha o nome “videogame” – não precisamos de joysticks de movimento, não mesmo. Mas “nós” somos a minoria no planeta, é um fato: dá pra dizer que eles não esqueceram da gente, mas o público que ganha mais atenção atualmente é o de não-jogadores. A Sony e a Microsoft estão experimentando um pouco, não estão exatamente copiando o Wiimote da Nintendo. E todo mundo sabe que todas elas querem mesmo é dominar o mundo.

A SEGA sempre foi uma craque em hardware. Vamos lembrar juntos: o óculos 3D do Master System, o suporte a cartão e cartucho no mesmo console, o Mega Drive com suas duas expansões – SEGA CD e 32X (o Mega 32X trazia duas CPUs de 23 MHz, em 1994). Mais um pouquinho: o Saturn com suporte à expansão de memória RAM feita pelo usuário, o Dreamcast com seu modem embutido. Nos arcades, foi uma das líderes durante duas décadas a fio – só deixou esse posto porque os fliperamas entraram em decadência. Agora é um momento novo para os videogames: trazer novos jogadores, se reinventar de verdade. A SEGA pode ajudar neste processo. Ou qual seria a quarta empresa que você acredita que teria chances neste mercado, hoje? Só penso no nome da japonesa e nenhum outro.

Vamos aguardar por algum anúncio oficial da SEGA – que poderá nunca acontecer, ou não ser nada breve. Esperemos um pouco, torcendo para que não seja só mais um boato. O site Xboxic  lembra que “esta notícia será tratada como boato até ouvirmos alguma confirmação da SEGA”.

Claro: aqui está o link direto para o notícia do site russo: http://www.kaldata.com/comments.php?catid=4&id=55129. O tradutor da Google será essencial :-) E do site Xboxic, com uma interpretação da notícia, em inglês.

E você, compartilha desta esperança? Acho que é mais um boato? Caso seja verdade, acha melhor não ter um quarto console na contenda? Quero ouvir sua opinião.

SEGAAA!

* * *

Anúncios

12 Respostas

  1. Muito legal o “furo”! Eu torço para que a Sega se reerga, principalmente porque seria mais um motivo para ela dar continuidade a tantas franquias esquecidas e abandonadas que fizeram tanta alegria no passado. No entanto, ela vai ter que se esforçar muito para melhorar sua imagem conosco, que anda bastante manchada, tanto no quesito hardware quanto software; se por um lado, os add-ons do Mega e sua morte prematura, assim como o suporte tosco ao Saturn e a desistência de continuar com o Dreamcast decepcionaram os jogadores, por outro tem também os jogos novos do Sonic, ou outras bombas como aquele novo Golden Axe. Ou seja, vai ter que rebolar bonito!

    Curtir

    • Pois é Rafael, ela tem boas franquias, já reconhecidas, têm os direitos sobre elas – mas fez feio, como sabemos.

      Mas um possível retorno real dela aos consoles seria mesmo por essa nova porta de entrada da indústria. Por isso, não desconsidero totalmente essa possibilidade. Veja como foi na E3 desse ano: o foco absurdo nas novas maneiras de controlar o jogo. Acho que não funciona para nós, “hardcore”, mas parece que em EUA e Europa isso *realmente* atrai novos gamers – é só ver as vendas do Wii e os jogos feitos para este console, 80% é coisa casual mesmo, totalmente. Então só pode ser a prova de que esse negócio de se balançar na frente da TV funciona.

      E é aí que a SEGA poderia também achar espaço, uma vez que ele não foi totalmente desbravado. Ou seja: não com as franquias já estabelecidas (claro que elas estariam lá) e sim com esse novo jeito de jogar que parece atrair mesmo – repito: nos mercados onde já tinham muitos gamers, por aqui no Brasil praticamente não conheço “alguém que não era interessado em videogame e comprou o Wii”. Já até mostrei o Wii para alguns não-gamers para testar a reação de compra e é aquele negócio: “uau que interessante!!” depois reencontro a pessoa e pergunto “e aí comprou o Wii?” Não, ainda não… mais um tempo depos: “e agora, comprou o Wii???” Nada ainda……… No nosso país em desenvolvimento e com pouca cultura gamer, deve ser assim mesmo. Mas, lá “nas origens” parece que é verdade mesmo, eles acabam comprando e jogando Wii Music e afins.

      Curtir

      • “no Brasil praticamente não conheço “alguém que não era interessado em videogame e comprou o Wii”.”

        Eu conheço três :)

        Curtir

        • E eu acredito. É que tem um agravante: “meu Brasil” é em Salvador, eheheheh. Aqui é menos ainda. Menos gamers. Poucas lojas de videogames – especializadas mesmo são quase nada. Claramente, vemos menos gamers por aqui. Claro, eles existem, mas porque estamos numa cidade com quase 4 milhões de habitantes.

          Outro dia mesmo procurei por blogs sobre games feitos por baianos, com algum indício na página sobre isso e não encontrei… Será que o Cosmic Effect é o único? :p

          Então, no sul do país sabemos que são mais gamers, portanto mais multiplicadores do assunto, portanto… mais Wii de novos gamers. E, claro, mais “novo-console-da-SEGA” também :D

          Curtir

  2. Cara, nunca confie em sites russos… e sempre, sempre, sempre desconfie quando uma notícia bombástica publicada há dois, três dias não ganhar eco em grandes sites da área.

    Eu já tinha lido esse papo. Você sabe que eu adoro a SEGA, e a coisa que eu mais quero é vê-la voltar ao mercado de consoles, mas isso é puro wishful thinking — já notou como eu adoro essa expressão? :)

    Se você der uma boa busca no Google, vai chegar a um site chamado Sega Newswire, que diz que o tal console vai se chamar Neptune. Esse é um boato antiiigo, baseado num suposto Mega Drive + 32X que a SEGA teria pensando em lançar há um tempão. Os caras estão aproveitando ainda uma outra notícia recente com relação a hardware da SEGA, que obviamente está ligado ao mercado de arcades. Aliás, o tal blog foi criado em maio já com “novidades” sobre o novo console. Isso quer dizer que há um mês eles estão espalhando essa mega-notícia sozinhos… estranho, não?

    Fora que a indústria de consoles hoje em dia exige investimento de bilhões de dólares. As coisas não são mais como eram naqueles tempos. A SEGA nem sonha em ter dinheiro para isso. Sad, but true…

    Curtir

    • Foi de lá mesmo que tirei Gagá :-) mas não tinha visto o lance do Neptune não – aí já é demais :D

      No fundo, não acredito também, mas quis fazer o post por conta desse novo lado dos videogames estarem emergindo com os novos controles e isso parece abrir espaço para uma nova abordagem, uma vez que tudo estará indefinido quando Kinect e Move forem lançados. Serão 3 maneiras razoavelmente distintas. Uma quarta não seria demais, seria sim mais um experimento – porque no fim, não devemos ficar com diversas opções de controle, veja o joystick único quanto tempo ficou, e entre os diversos fabricantes ao longo desse tempo.

      Então, dei uma “sensacionalizada gamística” para colher seus comentários sobre a possibilidade (falo que o site xboxic considera boato até algum pronunciamento da SEGA, no final).

      Claro que, se for mesmo o caso, ela não entraria agora, teria de prototipar até a morte, que não requer grandes investimentos – e tipo, após observar o que acontecerá com a geração atual, fazer o “the right Move”. Isso não é impossível não, ainda que unlikely.

      Pelo menos, como eu disse no post, se houver uma quarta empresa só poderia ser ela mesma, não? O nome “SEGA” carrega muitos multiplicadores mundo afora, ela teria vendas garantidas a partir daí.

      Parafraseando-lhe duplamente: Sad, it feels like wishful thinking…

      Curtir

      • Bom… a gente é brasileiro e não desiste nunca, né? :p

        Eu já ficaria satisfeito se a SEGA fizesse uma conferência na E3 como foi a da Nintendo ontem, com as franquias todas voltando para os consoles atuais (de preferência no Wii). Aliás, também não seria ruim se, em vez de investir em um voo solo, a SEGA se aproximasse mais da Nintendo.

        Curtir

        • eheheheh, isso aí.

          Vi agora que a SEGA apresentará/já apresentou Conduit 2. É um bom jogo dela para o Wii, por sinal.

          Não sei se você teve a oportunidade de jogar After Burner Climax para a Live ou PSN. É uma pérola da SEGA dos dias atuais nos consoles. Além da proximidade com a Nintendo que você cita, o caminho da SEGA – agora bem concreto mesmo – me parece estar nos jogos fora do circuito retail. Se Sonic 4 vingar em sua forma episódica, talvez poderemos considerar isso como uma confirmação. Sad, but true? ;-)

          Curtir

          • Não joguei o After Burner ainda não… quando eu for passar o mês aí na sua casa em Salvador aproveito para conhecer o jogo :)

            Eu acho que a SEGA ainda faz jogos bons sim. O chato é que todos aqueles grandes nomes da empresa foram espalhados aos quatro ventos, tá cada um em um canto, ao contrário do que acontece com a Nintendo.

            Eu ainda curto a SEGA, mas é meio como a opinião que eu tinha sobre o Michael Jackson: antes do Dangerous ele era o meu ídolo, depois apareceu um outro cara branco e esquisitão usando o mesmo nome. Ainda era legal, mas não era o mesmo cara :)

            Curtir

  3. dreamcast2.

    Curtir

  4. SEGA FOREVER, espero que isso realmente seja verdade, sou uma pessoa que sempre adimirou a SEGA e sempra vai adimirar, a maioria dos consoles que tenho e da SEGA, Master System 1 e 2, 2 Sega Saturn, 2 Dreamcast, e pra mim se a sega voltar pro mercado de consoles com um console para ser concorrentre do XBox 360, PS3 E Wii axo que a sega sairia vitoriosa alem dos fans da mesma que conserteza comprariam o console, eu mesmo sou uma dessas pessoas

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: