Anúncios

Gamer na Vida Real 002 – Out Run em Trânsito

Só não vá fazer o drift do final nas ruas da sua cidade hein…

Anúncios

Cosmic Fast #14 – A Força Está Com Os Retrogames

Amigos do Cosmic Effect, o 29 de maio de 2011 foi histórico para os baianos. O segundo evento geek da história do estado aconteceu neste dia (o primeiro foi a solitária apresentação do Video Games Live em 2009): O Aliança Salvador, primeiro evento relacionado a Star Wars que aconteceu na capital Salvador, desde o seu lançamento em 1977, realizado pelo Conselho Jedi Bahia. Surpreso com o acontecimento e apenas mais um fã de Star Wars, apareci por lá com o intuito de aproveitar a reunião de fãs da maior saga do cinema e, quem sabe, encontrar outros baianos interessados em retrogaming. E não é que encontramos um novo colaborador para o nosso blog (o Sérgio Oliveira) e até uma garotinha de 3 anos que já fala papai, mamãe e… “Yoda”? :)

Se você leva videogame a sério, é muitíssimo provável que seja um fã do nosso Guerra nas Estrelas. Os filmes de George Lucas foram tão marcantes na vida de tanta gente que, praticamente todo mundo, é fã de Luke, Han Solo, Leia e Vader. Alguns praticam fanatismo por Chewbacca, R2-D2, Boba Fett, Greedo ou até mesmo nutre fascínio pelo co-piloto de Lando; talves até mesmo você seja um adorador dos Ewoks na Batalha de Endor, quem sabe. O fato é: alguma coisa em Star Wars o fascina e não dá pra negar que os quase 100 jogos oficiais lançados até hoje da franquia garantem o status, de longe, de mais bem-sucedida adaptação para videogames do cinema.

Com tantos jogos (que incluem algumas pérolas gamísticas no enorme acervo) e espalhados em tantos gêneros, este Cosmic Fast pretende ser um passeio pela franquia que começou em grande estilo no Atari 2600, atravessou praticamente todas as plataformas de jogos eletrônicos existentes e continua firme e forte, até hoje. Falando em Força… que ela esteja com você, sempre!

Cosmic Fast

Edição #14: A Força Está Com Os Retrogames

Perdoem a qualidade da gravação, mas é que este episódio não foi exatamente previsto, estávamos sem câmera HD no dia. Afinal, evento geek em Salvador ninguém espera! De qualquer maneira, você estará assistindo na melhor qualidade possível – utilizamos a Força das ferramentas de edição de vídeo para melhorar ao máximo o resultado final para vocês :)

Canais somente com vídeos produzidos pelo Cosmic Effect

* * *

Mercúrio Diversões Eletrônicas

Por Andrey Santos

“Mercúrio Diversões Eletrônicas”. Esse foi um lugar onde pude conhecer vários dos jogos onde gráficos e músicas sempre me fascinaram. Hoje, onde se localiza este hotel, havia o pequeno fliperama, como era chamado por todos. Depois a gente chamou de “mercúrio cromo”.

Era um lugar sem muita ventilação. Putz, quando aquilo enchia de gente… De longe já se escutava Rally-X, New Rally-X, Vortex, Pole Position II, dentre outros. Havia também uma outra casa de jogos eletrônicos situada na Praça Rui Barbosa, ali onde hoje é uma lotérica. Lá, tinham raridades como Zaxxon! Sim, Zaxxon, era o único motivo que me fazia visitar aquele flipper. Abrindo um parêntese, gostaria de mencionar que na principal festa de largo, a Trezena de Santo Antônio, sempre haviam as barracas de atrações como tiro ao alvo e aquela do cachorro quente onde, quem comprasse lá, sempre contava uma história de desarranjos intestinais e corria avisando aos amigos no ano seguinte :) E a mais interessante, para mim: a barraca dos jogos de fliperama.

Nessa barraquinha de uma festa de interior,  conheci o original Moon Patrol e um arcade que tinha um volante, um pedal de acelerador e primeira e segunda marchas. Tinha uma vista superior, uns gráficos como Enduro do Atari e caía aquela chuva de carros pra você só desviar. Era o Super Speed Race (Valeu Eric!) – eram só a pista, os carros descendo e, claro, tinha a ambulância.

Enquanto isso no Mercúrio Cromo, chegaram: Karate Champ, Gladiator, Kikikakai, Vulgus, Venus (música fantástica), Elevator Action (tinha em todo flipper), RoadFighter, Phoenix, Tokio – este jogava e não parava mais; zerava tantas vezes até que o jogo apresentava erros como cenários sem inimigos e música do chefão tocando em todos os estágios – claro, uma música daquelas é sempre bom ouvir o jogo todo.

E finalmente Double Dragon 2, que não era um jogo de pancadaria e sim um “jogo de parceria” –  já sabia os amigos que realmente faziam dupla naquela jornada. Vamos ali zerar Double Dragon 2? Era assim o convite pra um final de tarde no planeta Mercúrio Cromo.

Saindo de lá, vamos todos pra casa…

…de alguns amigos que tinham as versões dos arcades em seus Atari, MSX e TK. É  isso aí pessoal. Bom lembrar daquele tempo. Valeu.

* * *