Anúncios

Starflight e o Savegame de 20 Anos

Por Eric Fraga

Em 1992, eu nunca iria imaginar que, em 2010, poderia estar escrevendo um log que ficaria disponível para quem quisesse ler em todo o planeta. Nessa época, só pensava em explorar os planetas e as galáxias jogando meu jogo favorito dos favoritos de Mega Drive: Starflight – e achar que este seria o futuro. Joguei-o sem manual, sem Internet, só com meu aliado de todo RPG eletrônico nessa época: o dicionário inglês-português. Cara, passar horas nas superfícies de planetas aleatórios e, de repente, dar de cara com uma construção contendo uma mensagem que contava um fragmento da história ou dava algumas coordenadas de outro lugar… “conversar” com aquela raça de robôs que falavam em binário… Tentar decifrar as poesias de uma certa raça alienígena… Imaginar a voz dos Thrynn, dos Elowan e dos Veloxi a partir dos  acidentes do texto de suas falas… procurar qualquer coisa nas galáxias dominadas pelo Uhlek, que não falam pelo menos conosco, só atiram e nunca apareceram… o senso de mistério era maravilhoso, a grandeza do jogo era de deixar qualquer dito open world de hoje no chinelo. O caderninho de passwords agora estava repleto de coordenadas e fragmentos de texto que eu considerava importante. O jogo deveria ser jogado com a ajuda de um mapa estelar que o acompanhava, na versão de Mega e de PC (mas é até dispensável, porém ajudaria). Eu lembro que pulei quando consegui destruir o tal planeta de cristal e vi a sequência do final. Coisa de meses depois de começar a jogar. Se fosse fazer um diário num blog, naquela época, os leitores passariam um semestre acompanhando o mesmo jogo. Tipo: “Post 129: alguém ouviu falar do Black Egg?” :p

Não vou falar muito dele neste momento – deixarei isso para um post/declaração de amor ao jogo mais tarde: agora o objetivo é mostrar para vocês que a qualidade dos cartuchos, como um todo, dá inveja à qualquer mídia que inventaram até agora: meus dois save games daquele longínquo ano estão intactos no mesmíssimo cartucho.

Enquanto não colecionava videogames, guardei este cartucho do Mega Drive embaladíssimo nas minhas gavetas de roupas, durante os últimos 18 anos, imaginem só :-) A versão para PC comprei por acidente em 1995, (9 anos depois do lançamento de Starflight…) numa feira de Informática aqui da cidade. No último dia, perto de fechar, um stand vendia jogos “para CD-ROM multimídia” e, perdido entre os Wing Commanders & X-Wings da vida, adventures da LucasArts e aqueles FMVs chatões, estava lá: Starflight para PC, original, da brazuca Brasoft. Mas a caixa é importada, original mesmo, apenas tem o selinho da Brasoft colado. A vendedora, que estava descalça (sim, lembro deste detalhe) me vendeu por 20 reais. Dois floppies de 360k (isso, amigos, dois disquetes de 5 e 1/4 de dupla densidade continham 6 meses de aventura), o manual, o code wheel para a proteção anti-cópia (moda na época) e… o starmap! Eu já tinha PC, corri pra casa e consegui instalar aqueles floppies (eles leram! Ufa) e o MS-DOS do Windows 95 ainda rodava aquele código, com a ajuda do AT-Slow (softwarezinho que desacelerava o clock da CPU para que jogos muito antigos que não usavam o timer da BIOS rodassem na velocidade normal). No PC, o visual era pior (modo de vídeo EGA, 16 corzinhas…), sem falar no som de PC Speaker – ele não suportava nem Adlib. Mas lembre-se: o jogo é de 1986. Mesmo sabendo disso, tive a certeza naquele momento que o Mega Drive arrasava mesmo pois jogos de “computador” sempre eram melhores que os de consoles ;-) Nem cheguei a jogá-lo por completo no PC.

Um das mais recentes franquias de sucesso de X360/PC é fortemente inspirada neste jogo e poucos sabem disso… Muito em breve falarei da minha experiência com ela aqui no Cosmic Effect e contarei mais detalhes ;-)

Em tempo 1: no vídeo a seguir, “ERIC” sou eu :p e “MOCA” era o apelido de um colega da mesma rua que teve Mega Drive antes de mim, mas só jogava Super Mônaco GP… Fiz ele assistir eu jogar um dos inúmeros playthrus, e este era o save em que ele assistia.

Em tempo 2: o Gagá fez um Diário de Bordo “Espacial” sobre Starflight e pôde saborear e apreciar esta pérola do Mega Drive – que é, originalmente, para MS-DOS.

Em tempo 3: Starflight só tem um tema musical para o jogo todo. É é claro que eu adoro também e, um dia, sai o remix! :-)

Agora sim: veja o cartucho original da Electronic Arts sendo inserido num Mega Drive II da Tec Toy  (no SuperConsole, claro :-) e compartilhe comigo a sensação retrô de ver o mesmo save sendo carregado, quase 20 anos depois de sua concepção :-)

Não se preocupe: sem spoilers!

* * *

Anúncios

23 Respostas

  1. Cara, que legal! A batida retrô assim é mais forte… Lembrar de um save antigão e poder rejogá-lo deve ser demais!

    Eu, se tivesse um save assim, ia ficar meio receoso de jogar o cartucho rs… Vai que eu perco :P… Ó paradoxo! XD

    Curtir

  2. ahahahahaha, adorei!

    Rapaz, você tem razão, já dá esse medo. E vai doer quando acontecer. Estou apegado :-) se houvesse uma maneira fácil de copiar para outro cartucho igual…

    Enquanto ele carrega, vamos celebrando! Em 2012 o cartucho e o save “ERIC” deverão realmente completar 20 anos. Agora, atingiu a maioridade (18) eheheheh Quando ele morrer, penso num “funeral para um savegame” :-)

    Curtir

  3. Muito bom! Lembro que na época que jogava Super Monaco GP, anotava longos códigos seriais no meu caderninho para voltar a jogar o campeonato… Quanto ao Starflight, vou confessar que nunca dei a devida atenção. Um pecado! Quero jogar quando eu for ai, hein?

    Curtir

    • Combinado, Márcio! Já sei os nomes de sua party toda de Starflight: “Antilles”, “Carlrissian”, o robô será C-3PO e “Vader” como science officer, eheheheheh

      Passwords de Mônaco eram gigantonas mesmo…

      Curtir

  4. Putz, a bateria desse cartucho deve ser feita de paladium.

    Rs, sério, eu não consigo guardar save de PC, quem dirá de cartucho. Meu cartucho do Super Mario World deve ta lá zeradinho, rsrsrs.

    (Achievement unlocked: kept a savegame for 18 years)

    Curtir

    • uhauahuhuah

      Eu sou meio doido por guardar essas coisas mesmo eheheheh

      Tanto que tenho a maioria dos saves dos jogos de MS-DOS até hoje. Sempre que acabava um jogo, vasculhava os diretórios torcendo para os saves fossem “atômicos” (separadas um para cada arquivo e tal). Às vezes eram integrados a algum datafile, aí já foi… faltava habilidades hacker pra isso :-)

      No padrão games for windows, voltei a fazer isso, porque tenho notado que os saves sempre tem sido separados em arquivos isolados. Uma coisa legal é que é possível, nos jogos for vista/7 que suportam direitinho o padrão, carregar o jogo pelo save, e não pelo executável.

      Rapaz, cheguei a ouvir o sonzinho do Xbox quando li o “achievement” ehehehehe

      Curtir

  5. PQP! Seu save já pode votar e dirigir XD.

    A memória do save deve ser EEPROM em vez de SRAM. Abre aí e confere pra gente *malvado*.

    Curtir

  6. E jogarei Starflight algum dia se o jogo não for coisa do demo (6 meses de aventura dentro de um cartucho do Mega só pode ser coisa sobrenatural ou de outro planeta XD).

    Curtir

    • Jogue mesmo, como experiência retrô é muito gostoso, video o review e a empolgação do Gagá com o jogo – e olha que ele só foi jogá-lo agora.

      Se você gostar deste tipo de desafio mesmo, de descobrir lentamente as coisas de um jogo, de explorar, sem checkpoints a todo instante, você vai gostar demais. Pega uma dica ou outra na web, sei lá, só pra não demorar muito – o meu caso é que joguei como eu falei no post, no escuro mesmo. Mas não troco ter jogado desta maneira por nada, justamente por causa do senso de mistério e de grandeza que isso proporcionava – além do desafio.

      Curtir

  7. Eu não sabia que se podia salvar o progresso de um jogo num cartucho de mega, Eric. Nunca tinha visto isso. Esse é o único jogo que tem esse recurso??

    Nunca joguei Starflight, mas pela sua descrição, pareceu-me muito parecido com Elite do MSX.

    Curtir

    • Tinham muitos Euler, os RPGs eu diria que quase todos. Só os mais “econômicos” que resolviam não colocar a “battery backup” no cartucho eheheheh

      Como sei que você era mais action-adventure-sports (nem me lembre da minha freguesia de Lakers vs Celtics com você, eheheheh), acabou não jogando nenhum cartucho com suporte a save.

      Elite, ôpa, vou olhar isso aqui agora na emulação… Os combates eram realtime, shooter mesmo, Euler! Dessa parte você ia gostar :-) mas tinha que equipar a nave, combustível acabava, etc….. ehehehehhe

      Curtir

  8. DELÍCIA de jogo. Um dos melhores que já joguei na vida, sem dúvida. Fiquei muito impressionado, na época, quando aluguei e só pude jogar por um dia, e mais impressionado ainda quando fiz o diário de bordo e terminei o jogo.

    Dizem que “Star Control” vai na mesma veia do Starflight e que também é muito bom. Já jogou?

    Curtir

    • Grande Gagá, sabe apreciar o que é bom :-) Seu diário de bordo “espacial” ficou demais.

      Olha, eu joguei Star Control na mesma época (2, no Mega, se não me engano?) justamente por isso, mas de longe não tinha o clima de aventura espacial que Starflight tinha… era mais estratégia mesmo, com pitadinhas de RPG. Pior que se vê muito essa comparação, mas posso garantir que se você gostar de Starflight necessariamente não gostará de Star Control não…

      Se quiser jogar algo que seja similar de alguma maneira à Starflight, acredite: este jogo é da geração atual e se chama Mass Effect.

      Curtir

  9. Esse (ótimo) artigo me fez relembrar de quando eu alugava o jogo Sim City do Super Nes, jogo este que adoro.

    Como moro numa cidadezinha de 25.000 habitantes sempre fui fascinado por cidades maiores, e criei uma “réplica imaginária” da cidade de Ribeirão Preto-SP num cart de uma antiga locadora daqui.

    Não era meramente um save de posição, mas uma “fase” inteira construída nos seus mínimos detalhes. Hoje fico pensando aonde estaria este cart, se o save poderia ainda estar lá… difícil. O que sobrou foi uma gravação rápida em VHS que ainda possuo.

    Já na época do Mega o Starflight já havia chamado minha atenção mas nunca o joguei, apesar disso. Esta matéria aumentou minha vontade de jogar este game. Quem sabe um dia?

    Curtir

  10. Legal! Como Sim City não era dos mais jogados em consoles, é capaz de seu save ainda estar vivo… porém, solitário, longe do dono ehehehehehe

    Espero mesmo que você jogue Starflight em algum momento e nos conte sua experiência.

    Passei lá no seu blog, bem legal, vou adicionar aqui ao blogroll, blz?

    Abraço!

    Curtir

  11. Jogo muito legal! Acompanhei todos os diários de bordo lá no Gagá Games e me deixou com agua na boca! Mas com o meu inglês de um nenê de 2 anos de idade, eu não garanto jogar direiro!

    Curtir

  12. […] na exploração das superfícies – notei uma obscura similaridade com um jogo antigo o qual sou apaixonado. Na Normandy (a nave do comandante Sheppard), percebi a presença de um mapa estelar que também me […]

    Curtir

  13. […] na exploração das superfícies – notei uma obscura similaridade com um jogo antigo o qual sou apaixonado. Na Normandy (a nave do comandante Sheppard), percebi a presença de um mapa estelar que também me […]

    Curtir

  14. Putz, esse jogo é FANTÁSTICO, e, mesmo tendo jogado muitos jogos bons, antigos e das gerações mais recentes, com gráficos mais modernos e tudo o mais, esse jogo está entre os melhores que já vi.

    E o pior é que não descobri ele na época em que jogava Mega Drive, mas uns 8 anos depois, quando já tinha PS1. Nessa época me bateu uma nostalgia e eu baixei um emulador que vinha com vários roms. Dentre eles, por curiosidade abri esse jogo, e me surpreendi com a qualidade, ainda não igualada, em minha opinião, por outros jogos do gênero…

    Enfim, um clássico… Queria que fizessem algo assim novamente.

    Curtir

    • Grande Samuel, cara, adorei ler seu comentário apaixonado sobre Starflight do Mega Drive. Cara, eu passei meses jogando ele na época, e volta e meia voltava e jogava tudo de novo ou explorava mais galáxias em busca de, quem sabe, achar um Uhlek que resolvesse se comunicar (era uma das minhas “fantasias” com Starflight, rs)

      Muito legal saber que você teve contato com ele já na geração seguinte e voltou pra jogar. É um jogo único, e o Mass Effect 1 é fortemente inspirado nele, palavra dos próprios desenvolvedores da franquia (li isso no fórum da Bioware na época do lançamento de Mass Effect).

      Olha, existe uma continuação feita por fãs (houve Starflight II, mas se não me engano o Starflight III que eles querem fazer continua do primeiro mesmo) aqui http://www.starflight3.org

      Eles começam, param, voltam a fazer algo, param, mas o site nunca sai do ar e às vezes passa 1 ano e rola post novo lá. Até me ofereci no fórum anos atrás pra ajudar nas músicas. Atualmente estão no “param” mas tem muita informação legal lá pros fãs de Starflight.

      Volte sempre aqui, Samuel! Abração

      Curtir

  15. […] Tenho medo deles, não sei se suportaria vê-los. Prefiro deixar assim: e quando carregar meu savegame com quase 20 anos poder continuar minha própria aventura, em busca de ruínas desconhecidas em planetas distantes, […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: