Anúncios

Game Music > Shadowgate – Enter Castle Shadowgate

por Danilo Viana

Vocês que acompanham nosso blog e nossa série Cosmic Cast, já devem ter ouvido falar algumas vezes do jogo Shadowgate. Para aqueles que nunca ouviram falar e não conhecem o jogo, Shadowgate é um jogo tipo adventure point-and-click situado na era medieval. Ele foi lançado originalmente para computadores Mac e ganhou ports para Atari ST, PC Windows e o NES.

O port para NES, produzido pela KEMCO (Top Gear), obviamente teve cortes para se adaptar ao potencial reduzido do console – felizmente esses cortes foram mais na interface e gráficos que na história – e, apesar disso, o port ficou muito bom. Felizmente para nós donos de um NES, este port foi o único que possuía música ambiente durante todo o jogo, enquanto todas as outras versões contavam apenas com efeitos sonoros ligados a eventos no jogo.

A versão de NES possui ótimas músicas que ajudam o jogador a se ambientar, já que o jogo conta com pouquíssimas animações, sendo mais uma sequência de imagens paradas. O compositor das músicas é desconhecido (o jogo não credita as músicas) mas acredita-se que são obra de Kouji Nishikawa, visto que ele compôs a música do port de Déjà Vu de NES, jogo que usa a mesma engine e tecnologia musical de Shadowgate.

Bom, essa chuva de informação é para apresentar a vocês mais uma game music produzida por mim, na minha longa jornada de aprendizado da arte da música – dessa vez decidi me arriscar na música “Title”, tema da tela de título de Shadowgate. Para quem não acompanhou, a um tempo estou aprendendo a tocar teclado e produzir música, com a ajuda de meu amigo e Mozzart oficial do blog, Eric – o Cosmonal. Minha primeira tentativa se encontra aqui, o tema da personagem Schala de Chrono Trigger.

Essa versão conta com uma ajudinha (mais para uma ajudona colossal) do próprio Eric, que consertou a música pra mim adicionou arranjos muito legais e deixou a ambientação muito mais rica do que eu poderia conseguir com meu teclado PSR coitadinho. Será que vocês conseguem separar qual parte da música é original e quais são os arranjos de Eric?

Por favor entendam que ainda estou aprendendo e isto é mais uma experiência que estou compartilhando com vocês. Aqui vocês não vão encontrar a qualidade das composições de Eric, ao invés disso trata-se mais de um diário de aprendizado de música e produção da minha parte. Claro que críticas são sempre bem-vindas.

Sem mais delongas, aqui vai Enter Castle Shadowgate, remix da música Title.

Quem quiser baixar a MP3 original com qualidade alta, pode baixar no 4shared.

Aqui vai a versão original da música Title e da música Dead, que toca no finalzinho de meu remix.

Shadowgate – Enter Castle Shadowgate – by Dancovich featuring Cosmonal.
Remix por (c) 2011 Danilo Costa Viana e Eric Fraga.

* * *

Anúncios

17 Respostas

  1. Essa música é BELÍSSIMA! É daquelas que te envolve, é dark e elegante. Lembra muito músicas da banda Talk Talk. Mas é daquelas que você tem de dar uma chance e ouvir mais de uma vez – essas que são as músicas boas DE VERDADE. Desconfie das que grudam de primeira.

    Danilo já me fez até comprar o cartucho original de NES do Shadowgate, tá lá na prateleira. O cara se emocionou quando viu o cartucho 10x mais do que eu, rs. O cara é fã número 1 (e com razão), nesse mesmo dia saímos testando tudo que é versão desse jogo e no fim a melhor é a do NES mesmo, não é Danilo? Por causa da música principalmente.

    Danilo caprichou e foi super fiel à original, eu entrei só com “as firulas”. E esse é Dancovich, devagar e sempre. Fica meio redundante, mas aqui vai o parabéns formal, Dan, pelo esforço e pelo resultado mesmo. A batida “keep it simple” que você fez ficou ótima mesmo, mostra sua evolução nesse sentido.

    Curtir

    • Poxa, que honra de ter logo o Eric como primeiro comment. Valeu mesmo pela força e espero melhorar pra fazer remixes cada vez melhores, daí logo logo nosso album de gamemusic sai, rsrs.

      Curtir

  2. Ótimo remix e ótima escolha de músicas., Danilo. Adoro essas trilhas sonoras bem-feitas, só pela música dá pra ter uma ideia de como é o jogo. A temática sombria me agradou também.

    Percebe-se que o Mr. Eric “Miyagi Fraga está orgulhosíssimo com seu discípulo Danilo “Larusso” Viana.

    Curtir

    • Hehe, só espero não ter que dar aquele chutinho pra aprender alguma coisa.

      Obrigadão pelo comentário e se você gosta de adventure point-and-click recomendo o Shadowgate mesmo, nem que seja só pra ouvir as músicas.

      Curtir

  3. Shadowgate eu só conheço pela versão de N64, que era mais um RPG em primeira pessoa. Não lembro muito bem se esse tema estava presente lá, mas duvido muitíssimo!

    Agora, adorei o remix, principalmente os timbres usados para a melodia. A introdução ficou muito legal, até me fez lembrar algumas músicas que costumava ouvir aqui que orquestravam temas conhecidos com sintetizadores apenas. E ainda manteve o clima “eerie”, muito bom! Keep on going!

    Curtir

    • Rafael, você teve Shadowgate 64 ou só conheceu? Eu tenho curiosidade de jogar essa versão mas de fato ela não tem nada a ver com o jogo de NES além do nome.

      Obrigado pelo keep-on going. Nem todos os timbres usados são “minha culpa”, Eric sugeriu alguns que eu usei direto no PSR e inseriu os próprios dele também.

      Eu queria manter esse clima eerie que você mencionou e ele me ajudou muito nisso, pq no mundo da música querer só é poder se você souber o que está fazendo.

      Curtir

      • Eu aluguei esse cartucho. Lembro que o memory card tinha bugado na hora que estava jogando, então eu tinha que terminar tudo de uma vez, sem salvar. Aí quando cheguei no final, escolhi um item na hora errada e acabei morrendo, deu game over. Nunca mais voltei a jogar =D

        Ele é divertido, mas é esse negócio mesmo, de não ter nada a ver com o de SNES

        Curtir

        • Shadowgate era de NES, hehe. Quem dera fosse de SNES.

          Curtir

          • Esbarrei no S, aqui o meu teclado é diferente e fica do lado do N =P

            Curtir

          • Rsrs, seu teclado é nintendista de primeira, não é que nem o de Eric que vai escrever NES e esbarra no S, no E e depois bate no G e no A ao mesmo tempo.

            Curtir

          • “…nem o de Eric que vai escrever NES e esbarra no S, no E e depois bate no G e no A ao mesmo tempo.”

            ahahahahaha

            Peraí não tem nada a ver Danilo, você me conhece, sabe que eu gosto do SEGA igualzinho gosto dos consoles da SEGA. Eu gosto de jogo bom, não importa se é pra SEGA ou pra Master System por exemplo.

            Core i7 / HD 1.5 TB / GTX 460 / Mouse Logitech / Teclado do Dreamcast

            Curtir

  4. Eu tenho a maior frustração por não saber tocar teclado… enchi o saco dos meus pais por anos para ganhar um. Acabei conseguindo, mas com um baita atraso, e o teclado era uma porcaria.

    Aí comecei a martelar os pais para me arranjarem um professor, mas nunca rolou. Mesmo assim eu consegui tirar, mal e porcamente, uns três ou quatro temas do Ys 3, mas era outro nível muito inferior ao seu, Danilo. Eu só tocava com uma mão, não conseguia fazer acompanhamento, era um horror, he he…

    Sobre o seu remix: nunca joguei o jogo e não conhecia a música. Ouvi a original, achei bacana, mas quando ouvi o seu remix é que percebei o climão “eerie” que o 00 comentou. Acho que quem joga associa logo por causa do clima do jogo, mas como eu nunca joguei e só consegui captar a atmosfera pelo seu remix, acho que dá para dizer que você fez um ótimo trabalho! Deu até vontade de dar umas partidas.

    Eu não sou lá um grande entendido em música, mas vou dar dois pitacos. Primeiro, gostei da sobriedade do arranjo. A pior coisa é o sujeito que ainda está aprendendo a tocar querer fazer um negócio muito mirabolante. O seu arranjo foi simples, investiu mais no clima sem muita firula e efeitos exagerados, muito adequado ao seu nível atual como músico. Eu curti.

    Segundo, e a única crítica, achei muito forte o… como chama mesmo, “vibrato”? No meu velho teclado era assim que se chamava. No início, em especial, quando você tem aquelas notas mais longas e sem acompanhamento, o UoNuOnUoNuOn do som ficou muito acentuado. Mas eu sou um pereba nisso, então talvez eu esteja dizendo besteira mesmo :P

    Show de bola, continua mandando músicas aí!

    Curtir

    • Rapaz, entre a crusada NES (cadê?) e a tradução de PS, volta a aprender. Te digo o seguinte, vamos combinar aí vitória arranjada nos próximos 3 sorteios do Gagá que convenço o Eric a te dar umas dicas.

      Sua história me lembrou a minha. Eu queria ter um teclado, mas tive um. Meu irmão pegou um mas nenhum de nós dois conseguiu aprender e não tivemos aulas. Só fui tomar vergonha a uns meses atrás mesmo, depois de velho. Entrei em aula e tudo mais.

      Obrigado pelo comentário do arranjo simples. Vai por mim, é a maior dificuldade superar a vontade de colocar 80 sons diferentes. A simplicidade é parte dica do sr. Eric Fraga mesmo.

      O vibrato que você notou (é modulação, mas o efeito é um vibrato mesmo) também me incomodou, você não está dizendo besteira de forma alguma. Eric me chamou a atenção que aquele trecho estava longo demais, com uma nota puxada por muito tempo sem nada em cima pra dar uma variada.

      Eu pus a modulação porque não consegui pensar em nada interessante pra dar uma graça a essa nota longa (apesar de que com certeza teriam milhões de coisas pra fazer, faltou foi experiência mesmo). Acho que realmente a modulação ficou forçada, eu devia ter posto a cachola pra funcionar e pensado em uma variação pra por em cima da nota mesmo.

      No final eu não estava satisfeito com a música, mas Eric me recomendou aceitar ela como estava e ele daria os arranjos em cima. No início nada vai ficar perfeito, é parte do aprendizado mesmo e eu tenho que aprender a aceitar isso e seguir em frente. Fosse por mim eu ia ficar dois anos nessa única música e não ia aprender nada novo.

      Novamente, valeu pelos comentários. Com certeza vão ter mais músicas minhas pra arranhar o ouvido de vocês, hehehe.

      Curtir

      • “No final eu não estava satisfeito com a música, mas Eric me recomendou aceitar ela como estava e ele daria os arranjos em cima. ”

        Acho que nem o Eric fica plenamente satisfeito com os arranjos dele, mas chega uma hora que a gente tem que “soltar a criança”… o importante é que, independente de pequenas falhas, o resultado ficou bem legal!

        Quanto a voltar aprender teclado… no momento já estou tentando aprender japonês com meu Nintendo DS ^_^

        Curtir

      • Mais uma grande idéia sua Dan. Gagá, por favor, Pier Solar seria um bom sorteio arranjado, digo, sorteio pra você fazer lá no Gagá Games. Também gostaria de ganhar um Atari Flashback, digo, concorrer a um deles num sorteio.

        Fora a brincadeira, nada a adicionar ao comentário do Dancovich, entre uma partida e outra de jogo velho no Dingoo ele vive praticando e sugando tudo que pode por aí. Meu papel tem sido freá-lo, muito mais do que estimulá-lo, rs, senão a hiper-atividade dele não o deixa acabar nunca! :) Ele já tá aprendendo ler partitura e etc… Esse padawan é Luke.

        Curtir

  5. […] posts sobre Chrono Trigger – Schala’s Theme e Shadowgate – Enter Castle Shadowgate vocês leitores do Cosmic Effect puderam perceber que nem todos os integrantes do blog tem um […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: