O Primeiro Console A Gente Nunca Esquece: Atari 2600*

O ATARI 2600

*extraído da página que inaugurou o Cosmic Effect, O SuperConsole, para o meme “O Primeiro Console A Gente Nunca Esquece”.

Em 1984, o primeiro videogame da família foi adquirido: O Atari 2600. Acompanhado de Pole Position e Defender, minha vida gamística estava prestes a se iniciar. E assim aconteceu.

Não foi uma escolha difícil, pois a maioria dos amigos possuía Atari (acervo de cartuchos estendido automaticamente) e já tínhamos tido contato com o Odyssey – que parecia ter uma biblioteca menor de jogos, apesar de ser um videogame de aparência sofisticada – provavelmente por conta da presença do teclado no console. Além disso, o marketing da Atari, mesmo no Brasil, era fantástico. Joguei Atari até não poder mais. Fazia campeonatos em casa (um teve até troféu artesanal) com os amigos; voltar correndo da escola porque trocou cartucho com coleguinha e está louco para experimentá-lo – os jogadores de Atari sabem bem do que estou falando.

A primeira vez que saí sozinho de casa, aos 7 anos, foi para devolver uma fita na locadora (!) do meu bairro – a boa e velha locada no sábado para devolver na segunda. Gostava de explorar os jogos enigmáticos típicos da plataforma – só fui entendê-los na era da Internet: Raiders Of The Lost Ark, Porky’s, Riddle Of The Sphinx e os Swordquest me fascinavam em especial. No Atari tinha de tudo, de jogos que poderiam ser chamados de “títulos AAA” como H.E.R.O., Adventure, Montezuma’s Revenge, Cosmic Ark, James Bond 007 passando por cartuchos escabrosos de ruim, como (não, ET não era ruim)…  deixe estes pra lá. Como não havia o conceito de ‘fim’ nos jogos, pois em geral eram competitivos, alguns títulos inspiravam o jogador a jogá-lo incessantemente, talvez numa promessa de algo diferente acontecer em algum momento. Cosmic Ark, por exemplo: eu jogava acreditando que se conseguisse resgatar uma certa quantidade de alienígenas, surgiria algum cenário diferente, possivelmente o planeta originário da nave que controlamos. Enfim… na era do Atari 2600, havia um senso de descoberta, imaginação e mistério que provavelmente nunca mais se repetirá nos videogames. Hoje, todos os jogos estão documentados na rede e a equipe desenvolvedora tem twitter e facebook.

Para ilustrar essa imaginação tão intensa e divertida que só o nosso primeiro console pôde nos trazer, convido-os a assistir este vídeo que fizemos recentemente sobre um cartucho muito especial: o simples e épico Adventure, de 1979, produzido pelo própria Atari. Tenho certeza que após assistí-lo por inteiro, a memória de cada um de nós sobre a aventura que certos jogos do nosso primeiro videogame nos trazia (seja ele Atari, Odyssey, NES, Mega, Master, SNES…) se tornará tão intensa que você vai parar o que estiver fazendo para jogar aquele jogo favorito daquele console… :)

Quem não viu o vídeo a seguir aqui no nosso blog, se tiver um tempinho adoraria que assistisse e compartilhasse da sensação conosco :)

É, amigos… a primeira vez a gente nunca esquece.

Clique no play e aumente o volume :)

*O vídeo é o “Cosmic Fast #6: Adventure”, da série de vídeos
sobre retrogaming produzida pelo Cosmic Effect.

Blogs participantes do meme
“O Primeiro Console A Gente Nunca Esquece”

* * *